Grey hair, don't care!

10:47

Desde que assisti O Diabo Veste Prada, que o filme se tornou um dos meus preferidos na categoria "filmes girly". Não só por tratar do universo da moda e ser claramente inspirado na Anna Wintour, mas porque a figura de Miranda Priestly é tão brilhantemente interpretada por Meryl Streep que, mesmo ela sendo "a megera" da história, você fica cativada pelo poder daquela mulher.


Tudo em Miranda (Meryl) exala esse poder absoluto, essa aura de omnipotência que combina muito bem com o cargo que ela ocupa. Os olhares, as frases, a postura, o tom de voz, a frieza, os looks, tudo isso embalada a personagem como uma figura que tantos temem e muitos outros admiram. É óbvio que seu comportamento é questionável porque beira a crueldade, mas é também muito claro como sua própria vida da Miranda é cruel com ela e que manter a pose (e o poder) tem um preço muito alto a se pagar.

Mas devaneios à parte, uma das coisas que mais me hipnotizou no filme foi o cabelo da Miranda, branco branquíssimo, chiquérrimo e carregado de uma mensagem tão poderosa quanto ela. É que desde sempre as mulheres se sentem pressionadas a pintar o cabelo à medida que os fios vão ficando brancos. Ficar grisalho é algo tão natural para o homem, adicionando até charme, mistério, "maturidade", e beleza aos caras, e pras mulheres é um grande problema começar a ter cabelos prateados pois nossa beleza está exclusivamente associada à juventude. 

Uma vez uma amiga do meu noivo comentou que eu devia pintar meus fios brancos, porque "homem não gosta de cabelo branco, ein!" Depois alguma tia minha reparou nos meus cabelos brancos. E eu vou reproduzir o diálogo pra vocês:

- Carolina, você tem que pintar ein? Tá cheia de cabelo branco!!
- Não vou pintar. Decidi deixar o cabelo natural mesmo.
- Ah você diz isso agora, que ainda dá pra disfarçar. Quando sua cabeça ficar toda branca e você se olhar ao espelho e se sentir uma velha, você vai querer pintar, sim!
- Mas você se sente velha aos 50 e poucos anos?
- Eu não! Me sinto super jovem! 
- Então porquê eu me sentiria velha só por ter o cabelo branco?
- (...)

Aquela "verdade" ficou na minha cabeça até hoje e eu percebi como é difícil pra nós, mulheres envelhecermos fisicamente, porque na sociedade em que vivemos, nossa essência é sempre condicionada ao nosso físico. Também entendi, naquele momento, que o sentimento da velhice é apavorante e que, ao mascararmos a passagem do tempo estamos, de certa forma, tentando desacelerar nossos ponteiros.

Por outro lado esse diálogo me fez ter vontade de abraçar essa finitude da qual todos nós compartilhamos, como algo que pode ser incrivelmente belo, poderoso e principalmente libertador. Hoje minha mãe e minhas tias vivem reféns das tinturas de cabelo, de retocar a raiz a cada 15 dias ou de não sair de casa porque o cabelo não tá pintado. Essa é uma "obrigação" pela qual eu não quero passar e cada dia vejo mais mulheres jovens abrindo mão da "juventude capilar" em troca da liberdade de assumirem seus brancos.

É claro que vou sentir algumas necessidades estéticas (já sinto!!! kkkk), porque tenho minhas vaidades e neuroses (quem nunca?), mas passar o resto da minha vida escondendo cabelo branco não faz parte dos meus planos. Pretendo "administrar" esses traços da idade da melhor forma possível, deixar o cabelo envelhecer naturalmente e cuidar para que ele fique saudável e bonito e acho que isso é suficiente pra mim. 


Quando decidi que não pintaria mais o cabelo, comuniquei ao noivo só para ver a reação dele. Igor é um cara tão simples e prático, que a resposta não poderia ser outra: "ah, que maneiro! você fica linda de qualquer jeito, amor." Sem choque, sem traumas, como deveria ser pra todo mundo. Longe de mim querer submeter minha decisão de ser grisalha ao noivo, mas foi só um teste mesmo e ele passou com louvor. hehehe


Como sei que o cabelo branco é mais poroso, ressecado e tal, rapidamente fui buscar inspirações em mulheres que desfilam seus brancos com muita classe e estilo e percebi que sim, é possível ser jovem por dentro e por fora, mesmo sendo grisalha, que o cabelo pode ser maravilhoso mesmo sendo todo branco e que o mundo precisa entender que a beleza é um conjunto de coisas que transformam a sua percepção e a dos outros, sobre o que é belo. E o belo é simples: é só usar um bom corte de cabelo, um bom jeans e um bom cérebro. 

You Might Also Like

16 comentários

  1. Aiin! Que texto mais inspirador ~como todos os outros~ mas esse em especial me trouxe um pouco de alívio, por ver que mais pessoas pensam como eu. Não sei se quando aparecerem os meus cabelos brancos os assumirei de prontidão, mas acredito e quero que quando já estiverem numa quantidade significativa eles venham e fiquem! Sem neura mesmo! Acho lindo cabelo branco e como você disse, juventude não tem nada a ver com idade numérica e sim idade mental, vivencial.
    Esse e outros textos como o que vc fez quando fez aos 27 anos e outro que falou sobre o delineador e as formas de adaptar o mundo às suas mudanças e não o contrário, são maravilhosos! E aplaudo de pé toda vez que venho aqui e leio essas palavras tão significativas, essas sentimentalidades tão comuns e ao mesmo tempo tão escondidas! <3
    Parabéns mais uma vez! E feliz cafezinhos brancos! <3

    ResponderEliminar
  2. Carol me identifiquei tanto com o post, eu já costumo pintar meu cabelo uns bons anos, mas desde os meus vinte e poucos comentava que talvez aderisse a grisalhice, se eu ficasse bem com ela, pq assim como corte, pintura, tenho que ver se me sentirei bem grisalha, mas tai uma coisa que acho bonita, não em todas mulheres mas em algumas, acho mais feio o aspecto do grisalho nascendo e faltando a pintura sabe rsrs, mas tenho 36 e os cabelos brancos começaram a existir, não me incomodo com eles de forma alguma e compartilho com vc desse desejo, acho que beleza vem de dentro pra fora, e há mulheres magnificas grisalhas, inclusive guardo uma destas fotos do seu post.

    Nunca mais havia comentado no seu blog, mas continuo achando vc fodarástica.

    bjs

    ResponderEliminar
  3. Que post... Arrasou, Carol!! Também estou cheia de cabelos brancos e levo isso com humor. O Jojo, do Um Ano sem Zara, também é uma das nossas, vira e mexe desfila mechas brancas. Beijos

    ResponderEliminar
  4. Mariana15.12.16

    Estou tão feliz que você voltou a postar com frequência! Eu ando muito sem paciência qnd me dizem q "tenho que" alguma coisa. Até propagandas nesse sentido me dão gastura, aliás principalmente as propagandas. E a vida é bem simples: não gosta não usa...se homem não gosta de cabelo branco, pinte o dele próprio, se homem não gosta de roupa curta ele próprio não use roupa curta, se homem não gosta de batom vermelho, não use ele próprio batom vermelho...Eu sei que a realidade pode ser bem mais dura e complexa para algumas mulheres que estão presas em relacionamentos abusivos mas eu torço pelo dia em que isso não seja mais um a questão. E que seja bem vindo 2017!

    ResponderEliminar
  5. Eu tenho 22 anos. Nenhum cabelo branco, ao contrário na realidade, devido minha descendência indígena. Meu cabelo é preto de descolorante não descolorir e ficar no máximo um cobre meio alaranjado. No entanto esse texto foi tão inspirador para mim, não por aplicar esse tema apenas ao meu cabelo, mas por analisar que por tantas áreas da vida, nós mulheres, nos sentimos fortemente obrigadas a estar impecável tanto por dentro, mas principalmente por fora. Somente gratidão pelos seus textos :)

    ResponderEliminar
  6. Adorei ler isso. Minha namorada não pinta o cabelo, eu sempre incentivei que ela deixasse branco. Apesar da pressão no ambiente de trabalho e na família ela vem resistindo. Acho lindo,um charme e o principal: envelhecer não deve ser um tabu, um problema. Que bom que mais mulheres estão pensando assim <3

    ResponderEliminar
  7. Oi! Muito feliz com esse texto e com sua atitude diante dos cabelos brancos! Sou mais uma que assumiu e eles se tornaram meu xodó! Depois dos brancos, mudei a forma de lavá-los e eles são tão mais cuidados agora do que antes! Tb tenho um blog e um canal no YouTube onde compartilho disso! Adoraria ver você por lá!! 😘

    ResponderEliminar
  8. Carol, que texto, que perspectiva! Sempre falei isso, que não tenho coragem de apagar do tempo uma mudança tão significativa quanto os cabelos brancos. A maturidade, a serenidade, e o toque de irreverência que traz com ele é incrível.
    E Rubia mulher, que cabelo maravilhoso. <3

    ResponderEliminar
  9. Anónimo19.12.16

    Como não amar os seus textos... merece aplausos de pé!

    ResponderEliminar
  10. tenho 48 anos.... vou fazer 49 daqui a 6 meses.
    Tenho longos cabelos negros e tenho meia dúzia de 10 fios brancos.....
    Acredite se quiser até o ano passado eu passava tonalizante 2 vezes por ano prá cobrir os 10 fios (para o aniversário de para as festa de final de ano).
    Este ano - 2016 - foi uma coisa tão natural que os 10 fios aumentaram para uns 15.
    E eu não senti necessidade tonalizar.
    Veio o aniversário e cadê a vontade.
    O Natal tá aí na porta e os fios estão aqui.
    Comecei a ouvir comentários e milagrosamente não liguei.
    Confesso que meu tonalizante Colortouch venceu - sim venceu e não usei.
    E não quero usar.
    Por quê ?
    sinceramente não sei.
    Tô aqui com a minha longa cabeleira e os 15 fios espalhados no topo da minha cabeça.
    Nem sei se tá feio.
    Mas tô tão bem.
    Achei que a vaidade estava indo embora.
    Mas continuo me cuidando.
    Continuo com meus cosméticos.
    Com meus óleos vegetais 100 % puro no cabelo (pequi, argan, moringa, etc.)
    Com meus creminhos.
    Com minhas máscaras.
    Com minhas poções capilares (máscaras + bepantol + sei lá o quê...)
    Mas desencanei por completo do fios brancos.
    Eu que não podia ver um fiozinho branco (ameaçava cancelar compromissos), agora tô assim. É como se eles estivessem todos pretos.
    E o pior: me achando linda, maravilhosa !
    Ainda bem que não estou doente..... que este sentimento não é só meu....
    bjs

    ResponderEliminar
  11. Shrley Santos20.12.16

    Tava precisando de um incentivo e você acabou de me dar vários.
    Tenho 53 anos. Dizem e, realmente, não aparento minha idade.
    Mas, estou cansada, enjoada, entediada, desestimulada, e muitos outros adjetivos, de manter os cabelos, no meu caso, escuros. É um saco !!!
    Pretendo fazer um corte repicado, no comprimento do pescoço e esperar que os brancos aparecendo livremente.
    Obrigada Carol.
    Bjs
    Shirley Santos
    Curitiba - PR

    ResponderEliminar
  12. Parabéns pela decisão!
    Eu tenho muuuitos cabelos brancos e pinto com frequência, não sei se um dia vou aderir ao grisalho. Por enquanto me sinto bem assim.
    O que falta para as pessoas é noção de que cada pessoa se sente bem de uma maneira. Quer deixar os brancos? Ok. Quer pintar? Ok também.

    O curioso é que tenho amigos homens muitos mais jovens, cheio de cabelos brancos e ninguém fala nada.

    Bjus!

    ResponderEliminar
  13. Anónimo28.12.16

    Ola Carolina! 35 anos só e muitos cabelos brancos já, mas ainda não pinto. A minha mãe pressiona, diz que pareço velha. O meu marido também não gosta... Mas eu resisto :DDDD Gosto do meu cabelo comprido, meio branco e incompreendido.

    ResponderEliminar
  14. Que texto mais lindo! Tenho sua idade e estou nessa saga dos cabelos brancos, nunca pintei meu cabelo e não quero me torna escrava das tinturas, ainda me incomoda os fiozinhos brancos incheridos a aparecer, mas penso igual você, dá pra ser grisalha e linda do mesmo jeito, o exterior envelhece, mas a alma não. Adoro seus posts, suas fotos, suas estampas, pinturas, sua Linda! xero direto de Alagoas!

    ResponderEliminar
  15. Carol! Quanto tempo! Conheci você em Recife, no Brasil, acho que uns 15 anos atrás... haha depois perdemos contato, mas putz, que texto massa! Te achei por acaso vendo o Modices. Não tenho um blog de moda, mas desde aquela época amo escrever crônicas. Dá uma passada lá! Será muito bem vinda! O nome: "Café com pimenta é refresco". Dá uma googlada com as aspas. Bjos. Vc continua com a mesma carinha de menina de sempre!

    ResponderEliminar
  16. Carol...que post. Minha mãe tem 57 anos e a um ano decidiu manter os fios brancos. Mas vejo que todos se sentiram incomodados pela sua decisão. Eu não posso negar que eu também fiquei Minha mãe é uma pessoa muito simples e meu primeiro impacto não foi estético mas acho que emocional. Na correria não percebemos que nossos pais estão envelhecendo. Assim quando eu a vi com as cabelos branquinhos venho a imagem de minha vó. E sim fiquei com medo da finitude da vida dos nossos pais. Estranho que como um cabelo pode trazer sensações em nós. Amei o seu texto obrigada pela suas reflexões. Feliz 2017

    ResponderEliminar

Subscribe