O que as cores podem dizer sobre nós

09:10

Como falei nos posts anteriores, mais do que organizar o armário e selecionar novas peças, eu estou também definindo as cores que quero usar na minha vida. E explico o porquê disto: eu adoro trabalhar com cores, tudo que eu crio é extremamente colorido, eu compro muita coisa colorida, mas eu não me sinto mais tão confortável usando roupa colorida. 

Não sei até que ponto o fato de ter sido criada num país como Portugal, onde a maior parte do ano usamos roupas de frio (que geralmente não são coloridas) influenciou no meu apego às paletas mais escuras, mas o fato é que eu me sinto infinitamente mais confortável com uma gama bem restrita de cores sobre a pele. 


Neste processo de transformação sobre o qual eu tenho falado quase que exaustivamente neste blog, tenho levado em consideração vários aspectos para a construção do novo armário: modelagens, tecidos, comprimentos, formas, cores. Mas o principal componente tem sido essa avaliação psicológica constante das minhas escolhas. O porquê de eu me sentir bem com isto ou aquilo. O porquê de rejeitar certas coisas e amar outras. Tudo está passando pela minha peneira mental e alguns insights têm ocorrido durante minhas reflexões. Um desses insights veio justamente quando pensei sobre as cores que visto: verde, preto, cinza, verde, preto, cinza...

Como muitas de vocês sabem, existe um tipo de profissional de moda que nos ajuda a definir nossa paleta de cores ideal. É a Consultora de Imagem quem auxilia na tarefa de transformar nosso estilo  e isso passa por uma análise da paleta de cores que combina mais com nossa pele, olhos, cabelo, que evidencia nossos pontos fortes, ilumina o rosto, etc, etc. 

Eu não tenho nenhuma consultora pra me ajudar nessa avaliação, então estou seguindo minha intuição e montei uma paleta de tons que me deixa realmente feliz de usar. Segundo minha amiga Talita Mattos, que é consultora de imagem, minhas cores preferidas se encaixam numa paleta de Outono Profundo. Fui catar essa paleta e realmente lá estavam todas as minhas cores preferidas, mas também algumas que eu não uso nunca. Então optei por trazer pro post apenas as cores que realmente me agradam e falar um pouco sobre essas escolhas.

Quando estudei publicidade lembro de ter lido um livro chamado Psicodinâmica das Cores e achei muito interessante ver como que cada cor emana um tipo de "energia". Não no sentido espiritual (mas também, se você for pensar por essa vertente), mas no sentido psicológico mesmo, de como as cores causam impactos diferentes no cérebro das pessoas.

Então, além de selecionar minhas cores preferidas, eu resolvi fazer um paralelo entre a minha paleta e as minhas características de personalidade mais evidentes. Mais uma vez aviso que tudo isso aqui é pura experimentação e intuição mesmo, mas se pesquisarmos um pouco sobre o significado das cores, podemos ver como certas características tem tudo a ver com a gente. heheheh Confesso que foi uma espécie de terapia, tentar entender que traços meus (defeitos e qualidades) são representados pelas cores que visto, mas achei o exercício muito interessante e acho que é um tópico legal para compartilhar por aqui. 

Dividi minha análise de cores em 4 esferas muito importantes da minha vida, que dizem muito sobre minha personalidade. São elas: esfera profissional, pessoal, emocional e social. (Emocional e Pessoal estão intimamente ligadas, mas coloquei em tópicos separados pra ficar mais claro)

As 3 primeiras cores da minha paleta são o preto, o cinza e o taupe, uma espécie de marrom bem escuro e desbotado e, no meu entendimento, elas representam bem a minha energia profissional. Algo como "noite", "concreto" e "chão". Não, eu não sou uma bruxa má kkkkkkk, mas meu ascendente em capricórnio é quem manda as cartas nesse jogo. Eu sou muito séria trabalhando. Muito mesmo, mal converso com as pessoas. Adoro trocar ideias, mas quando sento pra trabalhar eu sei que sou uma espécie de maquininha que foca e não para. Sou muito concentrada, objetiva, prática, detesto perder tempo com besteira. Sou ambiciosa, não no sentido ruim que as pessoas dão à palavra, mas no bom sentido, o sentido de quem almeja sempre fazer mais, fazer melhor, crescer na carreira (quando eu tinha uma kkkkkk), ser reconhecida. E por isso sou competitiva, mais uma vez não no sentido de passar as pessoas para trás, mas de correr atrás do que eu quero e superar qualquer situação.

Além disso sou aquele tipo de profissional muito resiliente, resistente a quase todo tipo de provação. Já fui humilhada por cliente, já vi meu trabalho sendo jogado fora mil vezes, já levei esculacho de chefe, já fui injustiçada, mas nunca derramei uma lágrima de sofrimento por nada disso, simplesmente porque, no âmbito profissional, eu não me permito esse tipo de reação. Por quê eu não me permito? Porque meu ascendente é capricórnio, ele quer passar uma imagem industriosa e eu deixo ele fazer o que ele quiser comigo. HAHAHAHA

Então essas 3 cores representam bem essa espécie de "escudo" emocional que eu uso no meu universo profissional. O que isso faz de mim? Com certeza eu não sou a pessoa mais amada do trabalho - já que eu não sou de conversar muito kkkkk - mas sempre fui muito respeitada e admirada por onde passei e eu gosto dessa sensação. 

É por isso que essas 3 cores me fazem sentir segura: é como se elas me dessem essa força "indestrutível" que eu preciso tantas vezes na minha vida pessoal.


Olha, dizem que depois dos 30 nosso ascendente é quem mais comanda nossa personalidade e eu estou começando a acreditar piamente nisso. Toda a inconstância libriana continua aqui dentro de mim, firme e forte, mas em muitas coisas eu tenho sido cada vez mais capricorniana, mais teimosa, mais afirmativa. A esferal pessoal não escapou dessa influência!

Escolhi 4 cores que eu amo para representar minha esfera pessoal: verde oliva (ou musgo ou militar), verde escuro, marsala e terracota. São cores 100% terrenas, cores de tudo o que brota do chão. De mata, de fruta, de terra. E traduzem bem o tipo de pessoa que eu sou: extremamente terrena, rústica no sentido de ser meio sincera demais, ter um jeito quase grosseiro de falar kkkkkkk, sem muita paciência para dramas. Natural e crua no sentido de não ser muito adepta de nada que seja forçado: seja uma convenção social, seja um preceito que possa me podar de alguma forma, enfim. Toda aquela diplomacia libriana NÃO EXISTE em Carolina Burgo. Eu não gosto de cinismo, nem hipocrisia, nem politicagem, nem fingir sentimentos. Pense numa pessoa transparente? Sou eu.

Outro ponto dessa paleta terrena é o fato de eu ser realmente...terrena. Aquela pessoa que ama estar com os pés no chão literalmente. É uma coisa emocional tão forte na minha vida que só explicando a dimensão disso pra vocês entenderem: eu enjoo em TODOS os transportes públicos. Avião, ônibus, carro, táxi, barco, moto. Acho que só não enjôo em metrô porque ele é DEBAIXO da terra. Todos os demais eu enjôo ou passo mal ou tenho medo. Minha pressão cai, eu tenho pânico, eu fico desconfortável em qualquer situação onde meus pés não estejam em terra firme. A primeira coisa que eu faço quando chego em casa? Andar descalça. Meu pé é motivo de lavagens intensivas a cada banho, porque ter os pés no chão é importante pra mim e desde criança sempre foi assim. Minha certa negação com tudo que é astral, espiritual, aéreo, espacial também é outra coisa que denuncia o quanto eu sou terrena e apegada a esse mundão. Que louco isso né?


Esta é a parte da paleta onde entra a instabilidade emocional libriana. Hoje eu sou alegria, amanhã estou chorando num cantinho com uma crise existencial. Tem sido assim a minha vida inteira. hahahaha. Juntei 3 cores suaves para definir esses traços de personalidade, pêssego, offwhite e beige, e reuni 4 características bem minhas: desatenta, frágil, insegura e desapegada. 

Eu me sinto frágil muitas vezes. Uma espécie de desamparo e insegurança absurdos que me acometem a cada 5 horas. kkkkkkk Ainda não analisei o porquê disso, mas é um fato. E isso atrapalha um pouco algumas tomadas de decisão muito práticas da minha vida. Então toda a energia "focada e objetiva" que eu consigo desenvolver trabalhando para os outros, eu simplesmente não canalizo para a minha esfera emocional e ela fica meio caótica, às vezes. A parte boa é que eu sou desatenta e desapegada, então tudo o que me faz mal ou eu esqueço com o tempo, ou vou deixando pra trás. E isso serve para tudo: memórias, experiências, trabalhos, lugares, pessoas. O passado pra mim tem tão pouca importância, que eu esqueço uma boa parcela das coisas que já aconteceram na minha vida, até momentos marcantes, minha memória apaga completamente. E também não sou de ter muita saudade de nada nem de ninguém. Simplesmente lá vou eu seguindo em frente sem olhar pra trás, levinha e desapegada.

O pêssego define a característica mais marcante dos meus trabalhos "emocionais": que é essa busca pela suavidade, leveza, doçura e poesia em tudo que pinto, desenho, escrevo, produzo. Então foi uma cor que eu resolvi incorporar ao meu armário recentemente, porque traduz uma característica da minha personalidade que eu gostaria que fosse mais evidente até (mas daí vem a paleta terrena e meio que soterra isso tudo hahaha).
Por fim selecionei duas cores que representam minha esfera social: magenta e âmbar (aqui podem considerar dourados também). Cores quentes e vibrantes! Esta sou eu numa mesa de bar. A pessoa que provavelmente mais chama a atenção na mesa pela gargalhada altíssima e as piadas infames. Mas essa é uma parcela pequena da minha persona (e do meu armário) e só aparece quando estou no meio de amigos próximos e familiares, pessoas nas quais confio e ao lado das quais eu posso falar todas as minhas abobrinhas sem medo. hehehe É uma parcela que eu praticamente ofereço de presente a quem me ama, porque na maioria do tempo eu sou uma mistura das outras paletas todas e esta aqui fica meio esquecida.

Como vocês viram, minhas cores preferidas são mais quentes, mais escuras, mais "introvertidas" mesmo. Quase como se eu precisasse vestir uma caverninha meio sem luz. hahahaha Não sei se vocês notaram, mas não tem um azul sequer nas minhas cores. Azul é uma dessas cores que me incomoda mesmo. Adoro o azul no céu, do mar, da paisagem, mas não em mim. No máximo um azul marinho escuro. Já tive roupas azuis, claro, mas sempre estão entre as primeiras a serem dispensadas do meu armário. Que doido né?

Azuis e verdes claros representam harmonia e saúde, duas coisas que eu não tenho na vida. kkkkkk Roxos e lilázes representam espiritualidade, outra coisa que eu não possuo. hehehehe Em compensação os tons quentes, terrosos, representam força e energia, que são duas características bem marcantes da minha personalidade.
Por fim, eis as cores que menos gosto. Nem preciso dizer que são todas as cores da paleta de verão né? Todos os tons abertos demais, coloridos demais ou azuis, não estão entre as minhas preferências de vida. Em alguns momentos eu comprei e usei roupas de todas essas cores porque eu entendia que eu tinha "preconceito"com elas, mas me arrependi amargamente depois. 

Uma das coisas que aprendi não só com os 30 anos, mas com a quantidade absurda de roupa que me desfiz, é que não adianta forçarmos determinadas coisas, e cor é uma dessas coisas. Existe gente que é mega colorida e que bom. Existe quem não é e que bom também. O que é lindo no outro, não necessariamente vai nos fazer feliz em frente ao espelho, e por isso eu simplesmente restringi meu armário a essas cores para me sentir melhor, mais confiante, mais confortável.

É claro que uma pessoa ultra colorida pode ser uma pessoa super tímida, ou vice versa. Estilo não é regra e cor muito menos! Mas eu, Carolina França Burgo kkkkk, identifiquei pontos da minha personalidade nas cores que gosto de vestir e achei interessante esse paralelo psicológico, ainda que minha análise seja bem pessoal e subjetiva.

Atualmente estou olhando APENAS para roupas dentro dessa paleta reduzida. Isso facilita minhas escolhas na hora de vestir e otimiza meu tempo e dinheiro na hora do comprar. E de quebra, eu ainda visto cores que traduzem pelo menos uns 90% do que vai na minha alma. O saldo é positivo!

E vocês, já pararam pra olhar pra cor das suas roupas como extensões da própria personalidade?

You Might Also Like

18 comentários

  1. Sensacional! Amei a análise, a objetividade, as descobertas. Vontade plus de conseguir fazer uma análise destas em minhas cores rssrsrs
    Estranho demais quando percebo que admiro muito as suas cores em você, até penso em umas para mim, mas nao me vejo sem o amarelo ouro, o vermelho. De outro lado, já gosto de um preto.
    Sei lá... voce viajou aí e eu viajo aqui.
    Obrigada pelo post!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo3.5.16

    Carol, corrige o gráfico! Turquesa se escreve com "S"! ;)

    ResponderEliminar
  3. Carol, adoro seu blog, desde que te encontrei fiquei mais inspirada na minha profissão, até voltei a escrever no meu blog.
    As cores realmente dizem muito da nossa personalidade, do nosso momento de vida, eu por exemplo, quando era adolescente vestia só preto, eu tinha vergonha de aparecer, queria me esconder, passados muito anos, parei de usar preto e só uso colorido, venci o trauma, mas isso tudo eu aprendi quando fiz consultoria de imagem, abriu completamente a minha cabeça sobre as cores e o significado delas no vestuário.
    Ps: Cuidado com o Cinza pra não te empalidecer e ressaltar as olheiras, observa isso na luz do sol! Bjoooo!!

    ResponderEliminar
  4. Isadora Machado3.5.16

    Adorei, Carol! Tuas análises e textos são inspiradores!

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Também não me sinto confortável usando muitas cores, minhas favoritas são as neutras - branco, cinza, nude, rosa claro... e azul, adoro! Mas tem cores aí que não uso também, acho até bonitas, mas não pra mim, como turquesa, amarelo, roxo... Por ser libriana, me identifiquei muito com algumas coisas do seu post, adorei!
    www.simpleness.com.br

    ResponderEliminar
  6. Sensacional Carol! Adorei o estudo da sua paleta de cores! Vou parar pra analisar a minha, mas já de cara vi que amo as cores que você não gosta! hehe
    Beijão!

    ResponderEliminar
  7. Oi, Carol! Acompanho seu blog há muuuuito tempo, mas não sou muito de comentar. Sou consultora de estilo e imagem e achei muito interessante a análise que você fez das cores de forma subjetiva. :) Existe também uma análise feita na consultoria que se chama análise da paleta de cores, que vai te orientar no sentido do que combina mais com seu tom de pele, cabelos, olhos, temperatura da pele, intensidade etc. É um estudo muito interessante e que te direciona certinho pros seus tons. Você então é classificada dentro de uma das 12 paletas possíveis: só de outono são 3!
    Se tiver interesse, me manda um e-mail, como sou do Rio podemos marcar de fazer pra você utilizar mais essa ferramenta a seu favor!
    Pras meninas que tiverem interesse também, seguem meus contatos:
    Email: contato.alinemassa@gmail.com, instagram @aline.massa e Facebook: www.facebook.com/AlineMassaOficial

    Beijos!

    ResponderEliminar
  8. Nossa Carol, você basicamente descreveu a minha personalidade rsrs, provavelmente porque também sou libriana e meu ascendente é da terra também, no caso Touro. Que maravilha, vou praticamente adotar essa paleta de cores, só adicionando um pouco do azul e do amarelo que acho que super combinam comigo.

    ResponderEliminar
  9. Viajei literalmente na sua análise rs agora cá estou eu revendo minhas escolhas novamente...

    ResponderEliminar
  10. Daqueles posts "viajados" que você vai devorando e rindo e pensando no caminho. Me sinto uma louca porque meu guarda roupa se divide em muito preto e branco e coisas estampadas coloridas mirabolantes. kkkkkk Como sou meio bipolar (Gêmeos com ascendente em gêmeos?), acabo usando tudo de acordo com o humor - embora ultimamente esteja numa fase mais neutra.

    ResponderEliminar
  11. Que delícia de post Carols, deu até vontade de fazer um estudo disso sobre minha personalidade. 😃

    ResponderEliminar
  12. CaroooooL, acho que vc podia fazer consultoria de cores! Me diverti muito com este post. Alías, temos muita coisa em comum! Além de não gostar de usar azul! kkkkkkkkkkkkkkk
    Fiquei curiosa em re-descobrir meu ascendente. Já soube uma vez, mas esqueci. Vou prestar mais atenção nas cores das minhas roupas e ver como elas me representam!
    Você como sempre maravilhosa com as palavras! Brinca que é uma beleza... está ficando cada vez melhor com a prática!
    Cadê tu no snap? :D
    Fiquei curiosa pra ver teu armário, pra ver estes tons de roupas! :D
    Ps: não foi o filtro!
    Beijoooooooos
    Nahh

    ResponderEliminar
  13. Carol, conteúdo massa como sempre. Sempre me sinto recompensada por ler teus textos. Beijo.

    ResponderEliminar
  14. Anónimo6.5.16

    pois é Carol, aproveita e lança essa paleta de cores tb em sua loja, sinto falta de cores mais básicas por lá.

    Deisi

    ResponderEliminar
  15. Carol, assim como todass as meninas aqui, vejo seu blog a muito tempo, mas nunca comento. Foi otimo vc ter postado sua paleta de cores, pq simplesmente sao as minhas! hahahaha me poupou moh trabalhao! Ate o magenta, que eh uma cor dificil de agradar, eh tipo umas da sminha prediletas. E sua analise tb eh igual...portanto, obrigada! hahahaha
    Nunca vi pessoa tao igual a mim, gente

    ResponderEliminar
  16. aff coloquei meu comentario e nao foi! hahaha
    Carol, obrigada por esse post, pq eu sou exatamente comom vc! Me poupou tempo e dinheiro hahahahaha Ate o magenta, que nao eh tao facil de agaradar!
    Nunca vi pessoa tao igual em tudo, gente..to passada

    ResponderEliminar
  17. Essa é a diferença entre esses blogs que tem por aí e o seu: conteúdo interesse + um toque pessoal. Adoro!


    Sempre gostei muito de estamapas e cores, mas hoje em dia ando meio "aloka" do offwhite, do preto... e das listras! Sei que não é considerado uma cor, mas usar listras o tempo todo deve ter algum significado "psicoemocional" também, né? rs


    Beijos!


    Clá | blog Uma Garota Carioca

    ResponderEliminar
  18. Mar minina! Eu fiquei lendo seu texto e tentando analisar meu guarda roupa. Cheguei nas cores que você menos gosta, então em encontrei. No turquesa (a cor de um all star cano médio que pintei com tinta de tecido, que foi meu preferido durante anos e deu muita dó de jogar fora quando o solado já estava literalmente FURADO de tanto usar) no laranja (a cor do all star atual kkk), no roxo (a cor do esmalte que estou usando agorinha)... Percebi que essas cores aparecem muito em sapatos, peças complementares como cardigans, jaquetas, coletes... As peças base geralmente são mais básicas, e grande parte delas azul, aquele marinho lindo... O que isso tem a ver com a minha personalidade? Eu sou o verão em pessoa, no andar, no falar, no agir. Acho que trabalhar com arte me trás pra esse lugar e eu amo a poesia que as roupas me proporcionam. Outra coisa que percebo é que sou infanto juvenil. Não me vejo vestindo como um mulherão. É sempre uma jovem adolescente se rebelando com seus shorts acinturados e suas botinhas com rebites. Meus saltos, atualmente aposentados, aguardam ansiosamente para serem usados (e acredite, eu AMO cada um deles. Se pudesse faria a São Silvestre com meus saltos) mas no meu dia a dia eles não cabem. É sempre de um lugar pro outro, de um compromisso a outro. Sem contar que pego ônibus e ando bastante. Vou tentar lembrar dessas coisas quando for comprar peças novas.
    Obrigada pela proposição de reflexão. ;)
    Beeijos
    Nattany Martins

    www.nattanymartins.com.br

    ResponderEliminar

Subscribe