Um diário de vida, viagens e estilo.

Garance Doré: o effortless chic de uma mulher inspiradora

maio 11, 2016
Gente, olha que interessante: três anos atrás, lá em 2013, eu estava completando 28 anos e, naquele momento, meus anseios fashion eram outros! Em 3 anos nossa vida muda tanto e a cada experiência que vamos adquirindo, coisas dentro da gente vão se transformando, né?

Então lá em 2013 eu fiz este post aqui sobre o que eu esperava que fosse meu estilo 10 anos depois, ou seja, aos 38 anos. Me inspirei numa das minhas musas da moda, a italiana Giovanna Battaglia, cujo estilo eu sou fã até hoje.

Acontece que o mundo dá voltas e hoje eu me vejo aqui, totalmente diferente dos meus 28 anos e com desejos fashion mais diferentes ainda. Quem sofre de ansiedade como eu, é i-n-c-a-p-a-z de viver o presente. Não sei se com vocês é assim, mas eu estou sempre planejando alguma coisa para o futuro, desejando alguma coisa que ainda não tenho, trabalhando para alguma coisa que ainda nem chegou. Meu cérebro está sempre 3 passos adiante e, se por um lado é ótimo ter esse desejo de construir coisas, por outro é bem difícil viver o presente e aproveitar o momento AGORA, porque o presente é sempre o ponto onde não quero mais estar. (vou fazer terapia, depois dessa conclusão, tá?) 

Essa ansiedade toma conta de todas as esferas da minha vida, inclusive influencia no meu estilo. Olha que louco? Tô começando a construir meu armário da Carol com 30 e já estou pensando na Carol com 40, sendo que eu ainda nem cheguei nos tais 38 que eu planejei 3 anos atrás. HAHAHAHAHA Alguém me interna?

Apesar de eu continuar amando (e desejando!) aquela moda de fashion week, eu simplesmente me resignei com o fato de que essa moda não cabe no meu estilo de vida e não posso mais sofrer com isso. E, portanto, minha busca por um estilo novo, um armário novo, passa por uma série de desejos bem mais básicos de se realizar do que os anseios de anos atrás. 


Hoje, minha musa inspiradora é outra, meu ícone de "estilo para o futuro" está muito mais próximo não só da minha realidade, como do meu presente mesmo, o que me deixa um pouco mais tranquila em relação a essa ansiedade imensa que eu tenho de estar sempre me transformando de alguma forma. Hoje vou falar para vocês de Garance Doré, uma blogger, ilustradora e fotógrafa francesa adepta do melhor estilo effortless chic, ou seja: chic sem esforço.

Estou O-B-C-E-C-A-D-A por esta mulher.

Como toda francesa, Garance tem aquele "je ne sais quoi" que faz com que ela esteja sempre vestida de forma simples, mas muito, muito, elegante. Acho que é coisa que vem da alma, mas como minha alma não é elegante (sou farofa mesmo! kkkk), vou ter que apelar pro estilo.

Garance aposta sempre em peças neutras, modelagem boa, poucos acessórios e quase nada de make/cabelo. Os looks dela nunca são over e são SUPER possíveis de encontrar coisas similares nas nossas lojas do Brasil. Só numa busca rápida no google eu já encontrei esse scarpin verde na Schutz, a camisa listrada numa loja online (que agora não lembro) e a calça verde de alfaiataria tem opções parecidas na Zara e na Renner. Ou seja, é o tipo de inspiração fashion que não deixa a gente depressiva por ser um ideal inatingível.

Garance é bem real e o charme dela reside justamente nessa forma natural de se colocar no mundo. Não bastasse ter um estilo impecável, Garance ainda é uma super ilustradora de moda, uma fotógrafa de mão cheia (ela sempre cobre o streetstyle de várias fashion weeks) e lançou seu livro de lifestyle e estilo. O blog dela também é cheio de dicas de beleza, moda e entrevistas bacanas com mulheres interessantes. Tudo orquestrado de forma muito leve e charmosa.



Não só o estilo dela me inspira, mas todo o trabalho que ela desenvolve na vida, no blog, nos livros, nas fotos. Não é o tipo de blogueira de quem eu seria "a melhor amiga". É o tipo de mulher que me inspira pra vida, de quem eu gostaria de ser aprendiz, trabalhar com ela, aprender com ela. Que coisa né? A gente se relaciona virtualmente com as pessoas e cria admiração por elas assim, através de uma telinha.

Resumindo, hoje meu armário caminha para esse sentido, o sentido Garance Doré. O sentido trés chic, o sentido simplificado da moda e eu não poderia deixar de compartilhar com vocês uma das minhas maiores fontes de inspiração!

E vocês? Quem são seus ícones de moda no momento? Já conheciam Garance?


16 comentários on "Garance Doré: o effortless chic de uma mulher inspiradora"
  1. Danúbia Bellami11.5.16

    Engraçado achei que crise dos trinta era conversa de gente maluca, apesar de saber que ela existe, pq vi minha mãe passar por ela quando eu tinha um pouco menos de quinze. Daí que daqui há exatamente uma semana completarei trinta também e confesso que no último mês eu pensei que estava ficando maluca,rsrs. Mudei tanto tantas coisas, inclusive meu estilo e gosto por roupas. o assustador é que veio de repente e ainda está acontecendo, talvez pq minha crise seja pós-trinta e não pré-trinta. Enfim, sempre fui a louca-colorida-enfeitada mas tô na mesma vibe que você, onde menos é mais e a palavra de ordem é conforto. Quero um guarda-roupa que eu possa levar onde for necessário, com menos peças que funcionem mais e que me deixem feliz comigo mesma. Adorei a inspiração!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dá uma pesquisada no seguinte assunto: o retorno de Saturno.
      Explica tudoooo!

      Eliminar
    2. Obrigada pela dica, Renata! Achei super interessante. Fechei 30 e senti realmente um drama e alívio. :D

      Eliminar
    3. Danúbia Bellami13.5.16

      Valeu a Dica, vou olhar sim e fico feliz em perceber que não estou sozinha na montanha russa de sensações dos trinta.

      Eliminar
  2. Mariana11.5.16

    Carol do céu... eu sou obcecado pela beleza das francesas (rimou!kkkkkk) Essa escolha de tecidos mais naturais, cortes mais limpos, estampas clássicas, cabelos sem tinta e sempre bem cortados, maquiagem bem dosada....Sou apaixonada, acho de uma elegância sem tamanho. Morei um tempo em Toulouse e vê-las constantemente era muito inspirador. Até hoje, quando compro uma peça de roupa me pergunto: vou ficar francesa usando isso? Paixão é paixão, a gente simplesmente sente...

    ResponderEliminar
  3. Keylla11.5.16

    Quando trintei (tenho 31 tbm) entrei numa fase de minimalismo, eliminando tudo o que não me fazia bem, o que era excesso, mudando o estilo das roupas... Àquelas dos 20 não me "cabiam" mais, não no sentido literal, mas não conseguia me ver vestindo aquilo mais. Ansiava mudança. Valores pessoais ficaram mais em evidência.
    Achava que era loucura esse "crise" dos 30. Não uma crise de existência, mas uma necessidade de evolução pessoal, de mudanças, de retirar o supérfluo, de resgatar a essência... Comigo foi assim pelo menos. A ansiedade dos 20 deram lugar à leveza dos 30.
    Não troco meus trintão pelos 20, não! rsrsrs (até rimou!)
    Beijos, adoro seu blog.

    ResponderEliminar
  4. Gostei de como ela combinou a camisetinha básica e com uma peça de baixo mais chiquezinha, acho que isso deu um equilíbrio super legal.
    Adorei a referência Carol!

    www.simpleness.com.br

    ResponderEliminar
  5. Carol devemos ser as melhores amigas de infância, só que não, afinal andamos influenciadas pela mesma vibe, e logo com o seu casamento acho que você ficara mais Lidy do que nunca #ameliahavefun. Li seu post de 2013 quando foi publicado e na época ( desejávamos a mesma calça amarela da Giovanna) com quase a mesma idade também vivia a fase "fashionista", hoje na casa dos 30 também vivo o processo de simplificação da vida e do guarda roupa. Nunca pensei que os 30 fossem tão legais (quem acredita nisso aos 20, né?!).

    www.ameliahavefun.com.br

    ResponderEliminar
  6. Rebecca11.5.16

    Carol, não conhecia. Mas to adorando essas pessoas que a gente admira e tem possibilidade de copiar o look..hahaha

    ResponderEliminar
  7. Garance é maravilhosa, está na minha lista de ilustradora preferida.
    Ainda não fui convencida por este estilo minimalista, mas anseio todos os dias por deixar mais evidente minha personalidade a partir das minhas roupas.

    Você conhece a Consuelo Blocker? Ela é filha da Constanza é parece ser uma das pessoas mais simpáticas que existem no planeta. Acompanhar o blog dela pra mim é uma oscilação de "que máximo - não quero saber pq isso não chega nem perto da minha realidade", mas eu me apaixonei novamente por ela e por todo o conteúdo que ela tem a oferecer depois de passar a acompanha-la pelo snap.

    Acho que você vai gostar. Ela é cultura pura!

    Bjos :)

    Geleia de Xuxu

    ResponderEliminar
  8. Acho que o scarpin da Zara prateado pode permanecer. Achei lindo! Engraçado como mudamos tanto em pouco tempo. E isso é bom. Adoro mudar!
    Tem gente que nasce elegante. Tive duas professoras elegantes que sempre me fizeram babar pelo estilo e porte delas.
    Já dei follow na Garance!
    Beijoooos

    ResponderEliminar
  9. Carol, super compartilho esse post, mulheres que admiramos e são vida real... OLha também o estilo da Emmanuelle Alt, (editora da vogue Paris), outra francesa maravilhosa, super black&white e "acordei chic" kkk. inspire-se sempre! isso nos movimenta ;D

    ResponderEliminar
  10. Caroooolll, tem uma coisa q eu fico pensando sempre q vejo teus looks novos, teu estilo remodelado. Esse chique sem esforço da Garance me lembra mt o normcore, se é que não é. E daí q não teria problema nenhum se não visse MUITA gente nos blogs de streetstyles afora e blogueiras daqui tb adotando esse estilo. Fico com a impressão de que não é um estilo autêntico construído por alguém e sim, uma tendência de moda que a gente adota pq só se vê isso veiculado por aí. Enfim, é essa minha reflexão... Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simmm! E sua reflexão é SUPER PERTINENTE. Inclusive pensei em fazer um vídeo sobre esse assunto porque tive esse sentimento. Não acho que a Garance é normcore, acho realmente que esse um estilo bem francês, de ser chic e discreta ao mesmo tempo. Mas entendo a sua associação entre esse movimento normcore que tá rolando e a minha "transformação" de estilo e eu passei exatamente por esse questionamento. Mas depois me recordei que sigo várias blogueiras "normcore", minimalistas, há anos, há anos admiro esse visual, mas nunca tinha conseguido desapegar das minhas roupas como estou fazendo agora. Mais do que mudar o estilo pra algo que está na moda, eu consegui uma coisa que pra mim era mais difícil, que era me livrar de tudo o que eu não usava. Acho que foi um pouco das duas coisas, mas sua colocação também passou pela minha cabeça! Vou gravar algo sobre isso! <3

      Eliminar
    2. Obrigada por responder. Fiquei super feliz! e vai ser mt legal ver em vídeo pq eu amei aquele dos brechós. Vi 3 vezes. rs Importante é q vc tá feliz e conseguindo uma coisa q era difícil. Eu acho lindo esse chique sem esforço, tb gosto de copiar de vez em quando. Mas me pergunto se é um estilo para nós, brasileiras, que somos coloridas e estampadas. Sofremos mt. influência do que vem da Europa, e, às vezes, acho q não tem a ver com a gente, brasileiras. Bjs

      Eliminar
  11. Carol, obrigada por trazer ao meu conhecimento, a existência dessa mulher incrivelmente chique!! Então, estou com medo da crise minimalista dos 30..ainda tenho 4 anos para me preparar eheh, digo que tenho medo pq eu já sou super básica..fico pensando se vou me livrar do meu brinquinho e colar , ok não chegará a tanto! Mas assim, eu procuro estar e/ou alcançar um armário todo cleen assim..estou na vibe de blusões brancos/claros e calças de linho! Só que custa (e carooo..) hehe bem, o plano é trabalhar e gastar com dignidade usando inspirações como essas!! Bjs ;)

    ResponderEliminar

Auto Post Signature

Auto Post  Signature