Qual o seu texto?

18:21


Já perdi as contas de quantas vezes recebi comentários no blog sobre leitoras que encontraram no Small uma forma de enxergar a moda de um jeito diferente, saindo das suas zonas de conforto, arriscando nos looks, usando o que realmente gostam, etc, etc, etc. É simplesmente incrível saber que, um blog que começou por diversão, tem o poder de transformar microparcelas da vida das pessoas. Ok, nenhuma Anita Garibaldi revolucionária está postando aqui, mas eu recebo feedbacks muito incríveis e atualmente, mais do que a vontade de postar looks do dia, eu tenho mesmo é prazer de escrever seja o que for que possa agregar qualquer coisa a quem lê. Ainda que seja moda, ainda que alguns achem fútil, meu intuito é mostrar que a moda não é (ou não deveria ser) tão superficial assim.

Por isso resolvi compartilhar mais um desses causos da minha vida fashion, que transformou totalmente não só a minha autoestima como a percepção das pessoas sobre mim. Sim, eu era uma GAROTA-COMBO. Vamos chamar assim. Aquela pessoa que vestia combos de roupa:




Fashion Combo 1: camiseta + calça jeans + tênis.

Fashion Combo 2: vestido + sandália + blazerzinho.

Fashion Combo 3: short + regata + chinelo.





 "Todo dia ela faz tudo sempre igual..." Combo 1: o mais usado![/caption]


Há uns tempos uma leitora comentou aqui no blog: "conheço seu blog desde maio, mais ou menos [...] me inspirou a começar a tentar sair da minha área de conforto (calça jeans, camiseta, tenis - preto, branco, cinza e azul marinho... rsrsr)". Não só ela, como várias outras mulheres, ao longo desses anos de blog, já fizeram comentários desse tipo. Fico mega feliz de saber que o blog inspira outras pessoas a ver possibilidades nos seus armários e a encontrarem um pouco mais de "coragem" para explorar suas vontades.

Achei interessante o comentário, por que essa é justamente a descrição do que eu era, até uns 10 anos atrás. Calça jeans, camiseta branca e tênis era a farda que eu usei por anos e anos e, apesar de eu gostar de tanta coisa diferente, eu era bem acomodada à praticidade/aceitação social do combo. Esse quadro só mudou no dia em que trabalhei com uma chefe impecavelmente bem vestida, que todos os dias aparecia na agência com alguma coisa linda. Eu babava nos looks dela e na capacidade que ela tinha de sempre aparecer com combinações diferentes. Todos os dias eu dizia pra mim mesma: "putz, quero ser assim!". Ela causava um impacto positivo onde chegava e isso mudava completamente a percepção das pessoas sobre ela.

Um belo dia comecei a colocar a preguiça de lado e arrumei 15 minutos na minha vida pra pensar no que ia vestir. Depois percebi que a percepção das pessoas sobre mim também mudava. Umas, claro, se afastavam pela incapacidade de lidar com o estranhamento, mas a maioria encontrava um ponto positivo de aproximação. É como se minha roupa tivesse criado um magnetismo misterioso. Aí vocês podem pensar: "pô, que bosta, as pessoas se aproximarem de você por conta da roupa."  Claro que isso seria uma bosta, se fosse apenas isso, mas é só primeiro contato que vai fazer com que a pessoa entre ou não na sua vida. E se o primeiro contato for a roupa, qual o problema? O que importa é se esse contato é positivo e gere interesse e admiração. :)



O que eu quero dizer é que a nossa zona de conforto não está na roupa básica que usamos (por que o básico também pode ser incrível), mas na preguiça em explorar outras possibilidades, ainda que seja dentro do combo jeans-camiseta-tênis. O blog tem sido meu maior exercício de criatividade nos últimos anos e deve ser por isso que eu ainda não desisti dele e continuo levando como diversão, por que as combinações são infinitas.

Muita gente acha que moda é futilidade, inclusive já ouvi pessoas me dizendo "não compreendo como uma pessoa inteligente como você, tem um blog de moda". Mas eu tenho outra opinião: qualquer coisa que exercite seu cérebro, te faça feliz, te inspire, mude sua autoestima, transforme positivamente a percepção das pessoas sobre você, mexa com sua criatividade, te deixe mais bonita, segura, incrível e, de quebra, ainda inspira outras pessoas, não é nada fútil! É felicidade pura! Claro que existe gente BORING, que leva o ritual de se vestir tão, mas tão a sério, que é incapaz de se divertir com o que ela tem de melhor e aproveitar a liberdade que ela te dá. Mas, seja qual for o lado em que nos encontramos, eu apenas defendo o mesmo discurso de sempre:

o que você veste é um texto poderoso.

O que você quer que ele diga sobre você?



Beijos, Carols

You Might Also Like

19 comentários

  1. Amei o texto, assim como amo este blog. Acompanho você faz tempo, desde os tempos em que você morava em Recife e mandava ver naquele monte de acessório! O que eu mais admiro em você é a ousadia. Sem duvidas esse espaço seu me inspira a querer mudar. Não saio uma vez sequer daqui com um novo pensamento, uma nova ideia... ou mesmo me divertindo da forma como você transforma esse espaço em algo tão intimista que a gente se sente amiga.

    Sou fã do seu blog porque você nos mostra a moda além da roupa.

    Beijo grande!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu quero ser a modelo porque eu quero ser a Isabela e Maria Joaquina para sempre por favor em voces me avisar agora antes

      Eliminar
  2. Amanda Medeiros1.6.15

    Acho os seus textos ótimos! Vc fala o que eu penso sobre a moda, já discuti com amigos sobre a teoria da "futilidade" em moda, mas pelo menos pra alguns eu já consegui mostrar o quanto a moda pode mudar a vida de alguém, principalmente de pessoas com baixa autoestima. Vc tá de parabéns! Pelos textos, pelos looks, pela criatividade e pela autenticidade! Bjos!

    ResponderEliminar
  3. Carol, adorei o texto! Eu também já fui uma 'garota-combo' e confesso que virei uma 'mulher-combo' também. Atualmente estou passando por esse processo de pensar um pouco mais sobre o que eu visto e perceber a sensação que sair dessa zona de conforto me traz. É uma experiência incrível! Como se eu me visse no espelho - de verdade - pela primeira vez! E, você tem razão, desde que você tenha um propósito com o que você faz, que você se divirta, por que não ter um blog de moda? As pessoas levam a vida a sério demais...

    ResponderEliminar
  4. Carol,
    Sou sua leitora há 3 anos. Sempre me identifiquei com seus textos e admiro a forma como você expressa a sua liberdade na moda. Gosto muito do assunto e seu blog é minha inspiração.
    Tive a notícia que meu namorado irá passar de 6 a 9 meses em outro país. Então comecei a pensar o que faria neste período, para me distrair, e que me desse prazer ao mesmo tempo. Não deu outra, acabei de montar um blog para troca de ideias de moda, beleza e etc. Não tenho a menor pretensão de ser algo tão lindo e grandioso como o seu, mas quero que saiba que foi minha inspiração! E isso aconteceu, justamente, por você ser uma pessoa inteligentíssima! Conseguiu prender minha atenção e despertar a vontade de ler seu blog sempre!
    Parabéns pelo seu trabalho!
    Beijos, Gi!

    ResponderEliminar
  5. Adorei, Carol! Concordo totalmente. Quem gente que tem muita pressa em julgar, mas quem perde são eles!
    Seu blog realmente é uma inspiração não só pelos looks, mas pelas reflexões que promove sobre nós mesmas, sobre o que é belo e sobre a nossa autoimagem. Obrigada!

    ResponderEliminar
  6. Anne Kelly1.6.15

    Lov u, Carols!!!! Vc me inspira!

    ResponderEliminar
  7. Nicole1.6.15

    melhor frase sintética Carol : " O que você veste é um texto poderoso.O que você quer que ele diga sobre você?"

    é por essa crença que meu mestrado de discurso foca na moda. Tamo junto!

    força total por aí!
    bjs
    Nicole.

    ResponderEliminar
  8. Mônica2.6.15

    Carol, desde muito pequena o ato de me vestir ocupou um lugar especial pra mim. Mesmo sem mto recurso, morando em uma cidade pequena e na época sem fast fashion ( lembro q roupa era algo q eu ganhava no aniversário...uma calça jeans por ano...)...a criatividade ( e isto devo a minha mãe) era a chave e o exercício possível para q eu pudesse satisfazer minha necessidade de vestit o que me fazia sentir feliz... ok...nem sempre...mas guardo alguns exemplos memoráveis... como qndo uma saia virou um casaco incrível, de matelasse e tricô, ou qndo em um baile (de clube sabe...) fui c uma calça preta cintura alta, camisa branca, faixa de smooking, gravata borboleta e um super salto... enquanto as meninas levavam vestidos de baile lá estava eu segurando as pontas c o meu traje nada típico...e isso a 20 anos atrás...kkkk. Foi ai q aprendi a olhar p a roupa e ver o seu potencial...ver q tudo pode se transformar dependendo a maneira q olhamos p ela...Depois na universidade ( cursando artes) eu era considerada a "patricinha" ou "nojentinha" pq gostava de me arrumar, de não "parecer" uma artista..kkk, ou seja, pq tb naquele contexto eu era diferente dos demais, ou melhor, não fazia esforço p ser alguém q não era, ou me vestir da forma q as pessoas achavam q era adequado p aquele espaço ou p contemplar o esyeriótipo do "artista"...e esse é o problema no meu ponto de vista... a preocupação q a as pessoas tem por querer serem igual aos demais e não gastarem tempo e energia p descobrirem o que gostam, o q lhes cai bem e sobretudo exercitar o olhar e serem criativos na hora de vestirem-se para serem quem são.
    Gosto do teu blog ( e acho q o leio desde 2010) sobretudo pq vc não tem medo de errar, de experimentar... e de futilidade, por aqui não vejo nada, vejo uma pessoa q trata a moda e o vestir- se como uma extensão de si, com profundidade e leveza, argumento e clareza...e posso dizer, acho q isso é o q faz mta falta hoje, mais pessoas q inspirem, que criem e q não tenham medo de se expressar, seja pela roupa, ideia ou de qq outra forma. Acho q a chave é libertar-se, despreender-se das amarras que achamos q a "moda" impõe e sim fazer dela a grande brincadeira, mas que pode ser séria sim, pois trata de expressão, de auto-conhecimento e de criatividade... e como coisas assim podem serem consideradas fúteis? Beijos e obrigada pela teflexão e desculpe o comentário longo ;)!!! Bjooo

    ResponderEliminar
  9. Denise2.6.15

    Adorei o texto e super acredito na moda não só como forma de expressão, mas como agente transformador de pessoas! Acredito também que nosso humor pode (e deve) ser influenciado e influenciar a forma como nos vestimos. E por falar nisso, porque você não faz uns cursos de consultoria de estilo, mas com essa sua visão única sobre o que é "estilo"e o que é "moda"? Eu faria esse curso fácil fácil. Adoraria trocar uma ideia contigo! Fikadika! Bjos

    ResponderEliminar
  10. Maíra dos Anjos2.6.15

    "O que você veste é um texto poderoso"
    Hoje eu estou dizendo, ai que preguiça, não quero molhar o pé, eu gosto de beyoncé e sou engraçadinha. hsuahsuahsuahsuahusa
    Tá meio confuso. hahahahaha

    ResponderEliminar
  11. Roberta2.6.15

    te blog é o mais legal de todos! acho que já comentei umas três vezes por aqui dizendo que "nunca comento em blog algum". isso é verdade, mas estou transformando essa frase em falsa, de tanto que me dá vontade de expressar o tanto que concordo com seus textos. há uns três anos minha lista de "blogs preferidos" beirava os quarenta! hoje em dia morro de orgulho de saber que acesso, diariamente, cinco blogs. o teu tá no meio, sempre!

    ResponderEliminar
  12. Carol, adoro os seus textos porque me inspiram. Tem dias que me sinto assim, meio básica demais, mas nem por isso tem que ser tudo sem graça. E tem dias que quero ousar um pouco, e me lembro de você, pois com sua ousadia você não tem medo de errar ou do que os outros vão pensar (algo que às vezes eu sinto e que me limita). Também não acho que ter um blog de moda ou gostar disso seja futilidade, a moda está presente no nosso cotidiano há tanto tempo, e não damos atenção a ela por achar que é uma coisa supérflua, mas como você disse, nada que te faça feliz é fútil! A gente tem que se permitir mais! :)
    www.simplesbela.com

    ResponderEliminar
  13. Audineia Leite3.6.15

    Essa questão de se vestir bem e transmitir uma mensagem é muito importante. Apesar do conteúdo ter mais valor, é a primeira impressão que vai dizer que tipo de pessoa você é. Se acharem que você não vale a pena logo de cara, de que adianta o resto? Nosso resumo executivo é a nossa aparência. E eu sou uma que estou correndo atrás de escrever o "meu texto". Bju.

    ResponderEliminar
  14. Nathy4.6.15

    Carooooooool. Eu queria tu comigo um dia, na minha casa vendo meu guarda-roupa, e no shopping me ensinando a comprar roupa - mesmo que a gnt só provasse! kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Um programa na tv - tipo Um dia com Carol!
    Enquanto não tenho essa possibilidade, só tenho a agradecer pelo BLOG! Beijooooos

    ResponderEliminar
  15. […] http://www.carolburgo.com/2015/06/qual-o-seu-texto.html […]

    ResponderEliminar
  16. […] femininas para a casa Tendência da vez Qual o seu texto? Dicas para economizar mais Você sabe o que te faz feliz? Espero que gostem! […]

    ResponderEliminar

Subscribe