Man Repeller: O Livro

14:22

Man Repeller: a divertida moda que espanta os homens, por Leandra Medine. Foi o livro que li mais recentemente e antes que eu comece minha resenha sobre ele, preciso falar sobre a autora do livro (e assim estruturar o raciocínio que vai me levar à análise da obra propriamente dita). Já falei sobre Leandra Medine várias vezes aqui no blog. Se existe uma blogueira neste mundo que me salva de olhar sempre para a moda com um olhar óbvio e cansado, essa pessoa é ela.

Leandra Medine é uma jovem blogueira americana, de família judaica tradicional, dona de um estilo peculiar, uma das 30 pessoas mais influentes com menos de 30 anos, pela Forbes, que um dia resolveu criar um blog para mostrar como ser uma repelente de homens. Conversando com uma de suas melhores amigas, sobre sua vida amorosa, a amiga afirmou que Leandra não conseguia namorar por causa das roupas que ela escolhia usar, sempre diferentes do óbvio, extravagantes, improváveis e, na maioria das vezes, não muito sexys nem femininas. Foi assim que nasceu o blog The Man Repeller, hoje um dos 25 blogs de moda mais influentes do mundo. Um dos poucos, se não o único blog que eu leio impreterivelmente todos os dias porque, além de mostrar looks realmente criativos, Leandra é uma exímia escritora, tem um humor sarcástico maravilhoso, é ultra-inteligente e articulada e transforma qualquer assunto banal em pura ~interessância~. É o tipo de mulher que eu sonho em ser quando crescer. 



Leandra Medine: o estilo e o livro na versão original. 
 
Posto isto, posso analisar agora o livro na versão brasileira. Em primeiríssimo lugar eu, particularmente, acho um absurdo as traduções TOSCAS que são feitas de títulos de livros e filmes no Brasil. Man Repeller: procurando o amor. Encontrando macacões. Pronto, estava resolvida a tradução que, além de ser mais fiel ao título original, já entregava a essência da história de Leandra e nos poupava desse título "a divertida moda, blá, blá, blá" versão sessão-da-tarde. Em segundíssimo lugar, achei a capa do livro horrorosa, jocosa e imbecil. De verdade. Quando vi o livro na prateleira, imaginei que pudesse ser uma dessas publicações cafonas de "como enfrentar os amores da adolescência e sobreviver à universidade", algo do gênero. Infantil e bobo. Nada a ver com a MULHER INTELIGENTE que o escreveu. Inclusive a capa original chamaria mais atenção e pareceria menos fútil. Em terceiro lugar, eu imagino que o texto original seja infinitamente mais interessante, com expressões que devem ter sido mal traduzidas para o português, porque Leandra é engraçada e o livro nem tanto. Por último, encontrei vários erros de português. Socorro.

Agora o conteúdo: leve, muito leve e extremamente pessoal. Leandra faz um apanhado da sua vida e conta suas histórias (desde perder a virgindade até suas bebedeiras em Paris) através das roupas que marcaram cada momento. Adorei essa ligação, porque eu mesma tenho N histórias ligadas ao que eu já vesti e, se para um homem a roupa diz pouco, para uma mulher a roupa tem um significado muito mais amplo do que somente a necessidade de cobrir o corpo. Muitas referências do livro não são do nosso entendimento, porque simplesmente não somos nascidas e criadas em Nova York, né? kkkkkk Mas todas as histórias são pontuadas por uma verdade da blogueira que é a minha máxima para a vida (e por isso eu me apaixonei):



"Sempre me preocupei mais em parecer "descolada" que "bonita". Roupas atraentes do tipo convencional, como pretinhos básicos, jeans skinny [...] nunca despertaram tanto o meu interesse quanto formas interessantes...e cores escandalosas. Percebi rapidamente que essa minha preferência era libertadora."


O livro poderia ser mais incrível? Sim. Mas ainda vou ler a versão em inglês pra saber se não houve um telefone sem fio aqui. Mas no geral, eu gostei, principalmente do meio para o final da narrativa. Por fim, o que o livro nos passa é essa mensagem de liberdade onde, mais importante do que encontrar o amor, é encontrar quem somos, mesmo que isso signifique ser...extravagante.

O livro é da Editora Novas Ideias e não custou mais de R$ 30.

Beijos, Carols

You Might Also Like

13 comentários

  1. Carol, adorei seu texto. Saber que o livro, de capa extremamente feia, layout estranho e erros de português, melhora do meio pro final me deu novo ânimo para retomar a leitura. Confesso que fiquei bem decepcionada com o início e acabei abandonando. Mas vou perseverar! Beijos

    ResponderEliminar
  2. Raiane14.10.14

    Guria, eu entro no teu blog todos os dias pelos mesmos motivos que tu acessa o dela! Acho que tu já virou gente grande! Hehehe!

    Beijo!

    ResponderEliminar
  3. Oi Carols,
    não é meu estilo de leitura, mas claro que eu conheço essa blogueira e realmente as roupas dela são "estranhas" para as massas kkkkkk.
    Pena achar erros de protuguês e possíveis problemas de tradução, isso é mesmo muito chato quando a gente quer ler uma obra bacana. E pena também dessa capa, nada a ver! Porque não deixam a capa original?
    Vc já conhecia a moça pelo nome, mas e quem não conhece? Parece livro de criança mesmo....
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Camila Oliveira14.10.14

    Que maravilha de livro, deve ser uma diliça. Vou caça-lo pra comprar!
    Valeu pela dica, Caroooools <33

    ResponderEliminar
  5. Carol, esqueci de dizer isso na sua pesquisa: adoro quando vc faz resenhas de livros por aqui. Eu tb nao vivo sem ler! :)
    Beijos!

    ResponderEliminar
  6. Ana Costa14.10.14

    Carol, pra mim você já é uma Leandra Medine com temperinho tupiniquim!
    Vai muito (muito!) além de postar 250 mil fotos de look com textos vazios e cheios de erros de português.
    Na minha pastinha de inspiração tem tantos looks Carol Burgo que você nem imagina!( sou leitora antiiiga, mas meio fantasminha. Tenho looks antigos guardadinhos.).
    Ainda estou caminhando pra ousar mais nas produções...
    Você ahaza!

    ResponderEliminar
  7. O The Man Repeller é um blog ótimo mesmo, não acompanho assiduamente como a senhorita, mas sempre dá uma refrescada na mente, assim como o seu viu queridinha. Sinto em lhe informar, mas na MINHA OPINIÃO você já é esse tipo mulher hahahaha.
    Eu tinha muita vontade de ler o livro, mas essa capa me repelia mais que as roupas da Medine para com os homens hahaha É bom ler uma resenha positiva, vou procurar a versão americana já que prezo pelo bom português.

    Beijos Carols (:

    valentinassake.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  8. Ainda estou na metade, pego de vez em quando pra ler. Também fiquei sem entender a capa e a tradução do título, terríveis!!! No início eu tava achando bem bobinho, agora tá melhorando. Mas como você falou, acho que a tradução do texto colabora pra isso.

    ResponderEliminar
  9. Não conhecia essa mulher maravilhosa, obg por me apresentar! Vi muito dela em você viu? Qualquer semelhança é mera coincidência? AUHASUHSHU http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  10. Amanda Rodrigues15.10.14

    Velhooooo...eu entro no teu blog todos os dias e pelo motivo que tu acessa o dela! kkkk
    Me instigou a ler, vou comprar já! beijos e sucesso gata!

    ResponderEliminar
  11. Adrielli16.10.14

    Ei Carol....
    Olha.. não sei o que houve... eu me cadastrei para receber os e-mails com os seus posts, (já era cadastrada antes, e recebia tudo certinho) mas agora, com o blog novo, quando recebo ele só vem pela metade... tipo, só vem o título e uma frase do início do texto.. não aparece foto nem nada... fico tão nervosa com isso.. kkk
    Pq minha vida é muito corrida.. e sempre gosto de ver o blog.. porém... quando recebia pelo e-mail era façinho de acompanhar... agora quase não consigo mais acompanhar, pq as vezes estou no interior onde o sinal pra internet é mais fraco para abrir diretamente no site.. será que isso esta acontecendo só comigo???

    Bjaum... te adoro demais..

    ResponderEliminar
  12. Ludmila16.10.14

    Oi Carol, faz tempo que te acompanho (por aqui e no insta) e nunca tinha parado pra comentar... Seu blog foi um achado na minha vida, descobri ele justo quando também saí do nordeste (Maranhão) e me mudei para o Rio. E já fiz vários programas que você indicou (a feira da praça 15 é um dos). Adoro a leveza que você tem de encarar a moda, como algo divertido e não essa ditadura do que é certo e errado que tantos blogs pregam... Te vi no bazar do Grito e quase fui lá tietar, mas bateu a vergonha! (e morri de curiosidade pra saber o que tinha nas suas sacolas!) hahaha
    Enfim, é só um recadinho pra dizer que você vai longe!
    Ah, queria saber quais blogs você acompanha, além do Man Repeller.
    Bjos e sucesso mil!

    ResponderEliminar
  13. Cris Ramos17.10.14

    Olha, eu não acompanho esse blog, mas de vez em quanto dou uma olhada, e usei demais a expressão " hj eu tô Man Repeller", para as roupas que meus amigos (todos homens) do trabalho, não entendiam. Mas, vamos dizer que Leandra está num nível de "man repeleridade" que ultrapassa minha compreensão, além de ser quase impossível usar tantas camadas de roupa no Brasil, aqui sim a gente tem exercitar criatividade, pq não dá pra trabalhar com muito no nosso final de primavera/verão. Eu uso feliz a terceira peça até outubro, mais ou menos, depois não rola. Mas, seguirei o teu conselho e lerei o blog em vez de só olhar as fotos (revista caras feelings). E por último, comentário tosco, me julguem: Leandra tem menos de 30?? Tá acabada!!!

    ResponderEliminar

Subscribe