Postando textos: NOMO

09:16


* * *

Muito tem se falado sobre a nova síndrome que desponta na juventude conectada: FOMO. Fear of Missing Out (medo de ficar por fora). Aquele sentimento de angustiante onde todo jovem tem a urgência de participar de todos os eventos, incluir-se em todas as badalações, conhecer todos os lugares, ter todas as roupas, saber de todos os assuntos, frequentar todas as festas e não perder absolutamente nada do que os outros falam, postam ou vivem. Se por um lado isso alimenta uma certa quebra na inércia típica de uma juventude apática, acostumada a ficar sentada no sofá assistindo TV, por outro lado nos leva a um desespero de viver, tão grande e exaustivo, que é difícil ter tempo (e saúde) para cumprir todos os “compromissos” inadiáveis que a vida nos oferece e pior, é mais difícil ainda tentar acompanhar o ritmo dos outros ao invés do nosso. (sim, eu já tentei acordar às 5 da manhã pra correr, igual a Carol Buffara. Não deu. -.-')

Esse “medo estar por fora do que tá rolando” faz com que nenhuma experiência seja realmente vivida sem uma boa dose de ansiedade/desespero. Toda a experiência é fotografada, tratada e postada no instagram, mesmo que a festa, o evento, a exposição, a comida, o lugar, sejam uma bosta, mesmo que você acorde pra correr e só consiga fazer 2km, chorando. Esse movimento do “sou mais feliz/foda que você” só gera ansiedade para quem assiste de camarote e para quem, depois de postar, continua não vivendo o momento, mergulhado na espera do próximo like. Quando eu descrevo esse fenômeno, me incluo nele. Escrevo com a propriedade de quem posta o que vive todos os dias por que, por momentos, acredito que serei mais feliz compartilhando minha felicidade. É uma necessidade egocêntrica que a gente desenvolve e nem sabe como. É quase um transtorno que custa a controlar, principalmente quando essa tal felicidade só nos parece verdadeira e palpável quando é tornada pública. Toda foto gera uma expectativa, todo por do sol é visto pela câmera do iphone, toda foto espontânea com as amigas é ensaiada, e aí o barco atravessou o mar, o sol desceu no horizonte, a risada mais gostosa foi perdida, e eu não vi passar. Você não viu passar. E o que nos vai restar são alguns backups esquecidos, de lembranças editadas. 

Talvez o caminho seja desenvolver uma nova síndrome que equilibre nosso "egosistema": NOMO. Need of Missing Out. Criar a necessidade de perdermos a foto perfeita, perder a pose, perder a noção do tempo, perder até o sinal do 3G, para viver de verdade. Para acabar com a angústia de viver para o olhar dos outros como vitrines ambulantes, para ser feliz com o dia desbotado, ou encontrar prazer numa faxina no quarto, ou passar o sábado à noite de pijama, assistindo netflix. Essa necessidade de “sumir” de tudo pode fazer com que os outros pensem que você não sabe viver, não participa, está ausente, está triste, ostracizada, mas a verdade é que, ao nos desligarmos um pouco dos outros, podemos fazer companhia a nós mesmas e encontrar um pouco de silêncio num mundo de imagens tão barulhentas e filtros ultrassaturados.

Enquanto todo mundo grita sua própria alegria, nós podemos silenciar a nossa e saborear secretamente a euforia de sermos imensa e plenamente felizes em nossos casulos, comendo pipoca de microondas. Podemos olhar sem filtros, sem hashtags, sem encaixotar a vida nas molduras quadradas do instagram. É, de vez em quando é bom perder “isso tudo que está acontecendo”, é bom manter alguns momentos intactos, mesmo que seja só de vez em quando. Quando a bateria acaba ou o sinal do 3G cai sem prazo pra voltar.  :)


O fim de semana vem aí. Let's miss out?

Beijos, Carols

* * *

You Might Also Like

43 comentários

  1. Que texto, Carooooools. Costumo falar prazámigas que vivo o que elas não vivem, okay, tenho facebook, blog e outras redes sociais, mas algumas ficam tão presas com o insta ou com algum outro meio de publicação da vida pessoal que esquecem de viver a vida no mundo real. Eu em finais de semana, com exceção do feriado extenso que teve procuro não ficar muito na internet e sim dividir e compartilhar meus momentos com quem realmente quer ver meu sorriso presencialmente invés da web cam ou pela minha foto de batom vermelho. É tão prazeroso estar rodeado de amigos numa conversa sem pé e cabeça onde você só quer se divertir. Não fazer parte do social-virtual é quase um crime e ó eu tô pagando por ele, não tenho "zap zap" também e tem sido o fim, tudo agora e por lá, mas eu prefiro é ficar sabendo pelas notícias de fonte verdadeira do que pelo telefone sem fio.

    Beijos e bom fds! :)

    ResponderEliminar
  2. meu medo e desenvolvee NOMO e nunca mais conseguir voltar :(

    ResponderEliminar
  3. meu medo e desenvolvee NOMO e nunca mais conseguir voltar :(

    ResponderEliminar
  4. Carol, parabéns pelo texto. Faço parte do grupo que posta quase nunca e principalmente no fim de semana, quando estou vivendo mais intensamente a "vida real". Por aqui a gente sempre presencia seu momento de "vida real" quando você já começa o post pedindo desculpas pela ausência. Tem nada que pedir desculpa! Os registros dos bons momentos na memória (ainda que inconsciente) serão sempre mais valiosos e intensos.
    E vamos deixar a bateria do celular acabar e esquecer o carregador que os nossos corações serão bem mais abastecidos de amor e alegria.

    ResponderEliminar
  5. Ana Paula25.4.14

    Uau! Texto perfeito! Exatamente o que penso!

    ResponderEliminar
  6. Anónimo25.4.14

    disse tudo,meu namorado vive falando a para de ver essas coisas e vá viver sua vida,essa galera do insta parecem ter td uma vida perfeitinha..ai vem vc e realmente me conformou cm isso...adorei o texto vc escreve mt bem...além de looks lindos o small tb é cultura rss beijoss

    ResponderEliminar
  7. Carol, comentei sobre isso com uma amiga ainda essa semana. Ela veio com papo de "vamos tirar uma foto, pra fulano curtir", e eu já me armei toda feito um bicho enjaulado. Sou um tanto ressabiada com a mania que as pessoas adquiriram de compartilhar cada micro-mini-muitas-vezes-insignificante momento de suas vidas. Não tenho instagram, limitei meu acesso ao facebook a 1 hora por dia.
    Eu gosto de viver o momento, de comer minha comidinha enquanto ainda está quentinha, ao invés de comer um risoto gelado porque esfriou enquanto eu tentava fazer uma foto melhor, gosto de rir com meus amigos ao invés de me preocupar porque não fico bem em fotos sorrindo. Em todo caso, ainda acho que já alcancei o lugar onde eu queria chegar, nesse âmbito da vida.

    Boa sorte pra se desligar!
    Beijo!

    ResponderEliminar
  8. Anónimo25.4.14

    Precisava ler isso!

    ResponderEliminar
  9. Emanuella Calaça25.4.14

    Parabéns pelo texto Carol, é exatamente o que penso, nos fds tento nõ ficar conectada e tenho conseguido, nas segundas quando retorno e dou uma olhada nos grupos do zap zap é todo mundo perguntando onde estou que sumi, kkkkk, se estivessem tão preocupados com a minha ausência ligariam e escutariam minha voz. Hoje em dia receber ligação ou sms virou prova de amor. Tá fodaaaaaaaaaaaaaa! Estou realmente de saco cheio, as pessoas estranham quando nas viagens ao invés de tirar fotos pelo celular eu tiro pela minha câmera, fico me sentindo a fora de moda,kkk, mas nem ligo, tiro a foto e só baixo e envio pros amigos que queiram receber quando quero e me dar vontade de relembrar aqueles momentos mágicos.
    Beijos
    Manu

    ResponderEliminar
  10. Sheila Marques25.4.14

    Parabéns Carol , lindo texto e necessário para tantas pessoas que leem seu blog. Bj
    Sheila

    ResponderEliminar
  11. Francine25.4.14

    Ótimo texto, ótima reflexão...

    ResponderEliminar
  12. Carol, vc foi sublime no seu texto. Eu que sou extremamente seleta com as coisas que posto no face TIVE que compartilhar. Você é demais!!!!
    Um beijão, sou sua fã!

    ResponderEliminar
  13. Carol, vc foi sublime no seu texto. Eu que sou extremamente seleta com as coisas que posto no face TIVE que compartilhar. Você é demais!!!!
    Um beijão, sou sua fã!

    ResponderEliminar
  14. Carol que texto lindo. Sabe, é isso que eu sinto todo santo dia. Buscamos parecer maneiros pra quem? Pros outros? Isso não é felicidade! Aquela foto tirada no final da tarde na praia é muito mais significante do que simples likes. Oras, não consigo entender...até um tempo atrás "pessoas" colocavam fotos ostentando, com iphonezinho, com as roupas mega caras, com espumantes, balada e tals. Hoje, essas mesmas pessoas postam fotos de "vida simples", frases que nos inspiram e que dão lição de moral (ah! os looks tem que ser boho chic). Sério, não sei onde perdemos nossa personalidade. Não falo só dos outros, falo de mim também. Porque tanta necessidade de sempre estar por dentro de tudo?!

    ResponderEliminar
  15. Rebecca25.4.14

    Carol, vc é excelente escritora! Esse olhar ácido e divertido traz a tona um problema deste século: dependência de internet (eu me incluo). Realmente não devemos ter essa "necessidade" de sempre estar conectado, muito menos sempre "felizes". Para mim, um bom encontro com minhas amigas é quando ninguém lembra de tirar foto ou mexe no celular. Parabéns por ter pontuado seu (nosso) ponto de vista!

    ResponderEliminar
  16. Fernanda25.4.14

    Seu texto é perfeito, Carol.
    Pouco tempo atrás me dei conta disso... e como foi mais fácil ser feliz a partir de então. Viva a minha vida privada!!
    =)

    ResponderEliminar
  17. Amei demais, me identifico muito!

    ResponderEliminar
  18. Amei demais, me identifico muito!

    ResponderEliminar
  19. Flávia25.4.14

    Perfeito, Carol. Como sempre...

    ResponderEliminar
  20. Anónimo25.4.14

    Que bom ler isso!
    Pensei que eu é que estava ficando louca...

    ResponderEliminar
  21. É a segunda vez que leio um texto seu e que quando termino, penso: Ela conseguiu descrever com perfeição o que eu penso. Penso e não consigo descrever tão perfeito assim como você!
    Parabéns pelo texto, espero que muitas pessoas tenham acesso a ele.

    ResponderEliminar
  22. Paula25.4.14

    Carol, estou em um intercâmbio no Chile e sofri muito para me adaptar. Ficava muito nervosa com toda essa coisa de viajar de mochilão e tudo e por isso decidi que o melhor para mim era não fazer essas viagens desorganizadas demais e loucas demais. Sofri muito com isso, com a ideia de que todos os outros intercambistas viajavam, tiravam fotos lindas, iam a festas enquanto eu ficava curtindo minhas coisas tranquilas. Seu texto foi perfeito para minha situação! Obrigada! =)

    ResponderEliminar
  23. Felicidade na moldura...!!De fato precisamos desse tempo só nosso, contando somente com nossa fantástica memória para nos relembrar momentos mágicos e outros nem tão...!!Mas essa é a vida real, não?!Às vezes entediante e outras não...?!Ótimo texto Carol!!Garota cabeça...!!bjos e adoro seu blog!

    ResponderEliminar
  24. Carol, texto PERFEITO. Você com certeza vai gostar do livro 'O inverno da nossa desconexão'. Eu amei! Tem uma pincelada sobre ele aqui: http://marggah.blogspot.com.br/2013/12/livro-o-inverno-da-nossa-desconexao.html
    Beijos

    ResponderEliminar
  25. Nossa Carol! Eu estou realmente sem palavras!
    Sempre amei tudo que você escreve por aqui, mas nada nunca fez eu me identificar tanto assim!!
    Me sinto exatamente desse jeito e sei que essa nossa euforia e loucura de sempre postar o que está acontecendo na nossa vida e de sempre esperar o próximo like naquela "super foto" só vai fazendo com que a gente perca momentos de extrema felicidade que poderíamos ter.

    Parabéns parabéns mesmo. Você me inspira muito e só tenho a agradecer!
    Beijoo
    Jéssica Magalhães

    ResponderEliminar
  26. Julia25.4.14

    Massa, Carol ;) é isso!

    ResponderEliminar
  27. Anónimo25.4.14

    Que texto lindo Carol, você deveria escrever um livro! Bom Carol você pensa em ter filhos?????? Tenho a sua idade e sinceramente acho horrível o fato da sociedade impor tanto isso, bem que vc poderia escrever um texto sobre esse tema né?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tb adoraria ler um texto seu Carol, sobre isso!

      Eliminar
  28. Anónimo25.4.14

    Perfeito!

    ResponderEliminar
  29. Raiane25.4.14

    Demais! Demais! Demais!

    ResponderEliminar
  30. Anónimo26.4.14

    Não tenho perfil no face e jamais terei. Sou um alien e daí? Não quero expor a minha vida, nem esmiuçar a dos outros.

    ResponderEliminar
  31. Carolzita! Que texto fantástico!Sinto tanto quando vejo pessoas postando cada segundo da sua vida nas redes sociais e pior quando você conhece aquela pessoa muito bem é sabe que a realidade daquela pessoa é bem diferente, bem mais pacata, mais triste do que aquela felicidade forçada das redes sociais. Há pouco tempo me deparei com uma figura que colocou "fulanaOFICIAL". Paaaraaaa tudo? Está cheia de fakes, fia? Quem é você mesmo? Ah! Lembrei... Uma menina comum assim como eu.

    ResponderEliminar
  32. Perfeito, Carol. Bora viver, simplesmente.

    ResponderEliminar
  33. Carol, confesso que estou nesse momento.Depois de um problema de saúde comecei a pensar sobre quais estavam sendo as minhas prioridades e acabei me afastando um pouco da vida virtual. Quando saio com o namorado, por exemplo, nunca levo o cel. Posso até perder uma foto bacana mas aproveito o momento ali, sem ficar pensando em nada mais. Isso que tem faltado nas pessoas! Com essa necessidade doentia de registrar tudo o que acontece na vida, de mostrar o quão cool e legal você é e que sua vida é linda, as pessoas não vivem o momento porque o veem através do seu celular. O movimento das pessoas que estão se desconectando dessa maneira ainda é pequeno mas creio que esse boom de selfies e afins há de passar. Assim espero.

    Beijo!

    ResponderEliminar
  34. Todo mundo já rasgou seda e eu também não serei diferente! Hehe Carol, adorei a reflexão! Eu tb já senti essa necessidade egocêntrica, como vc diz, e pra tentar me livrar até excluí minha conta do facebook (aquilo pra mim já estava descontrolado, uma pira por acompanhar a vida alheia e por mostrar como a minha é legal) . Depois disso estou vivendo mais tranquila! E vivendo mais que compartilhando!

    ResponderEliminar
  35. Anónimo27.4.14

    Carol, quando vi essa publicação do ministério da cultura achei que podia se interessar: http://www.cultura.gov.br/busca?p_p_auth=nNWCeSk0&p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_assetEntryId=1126738&_101_type=content&_101_groupId=10883&_101_urlTitle=intercambio-cultural-brasil-espanha&redirect=http%3A%2F%2Fwww.cultura.gov.br%2Fbusca%3Fp_p_id%3D3%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dmaximized%26p_p_mode%3Dview%26_3_groupId%3D0%26_3_keywords%3Dmatadero%26_3_struts_action%3D%252Fsearch%252Fsearch%26_3_redirect%3D%252Fbusca%26_3_y%3D9%26_3_x%3D16
    dá um olhada, beijos

    ResponderEliminar
  36. Eu perco fotos...

    antes do show eu tiro quase todas as fotos que você quiser, mas durante o show, enquanto eu estiver dançando e cantando e rodando: NÃO ME PARE PARA TIRAR FOTOS!

    Ah, mas e a lembrança? E a foto no face? E mostrar pros amigos?

    1- Enquanto o Alzheimer não vem, tá td bem
    2- Caguei pro face
    3- Saio e pago show não é pra mostrar pra "amigos" que posso. Faço porque quero, não preciso de "comprovantes de status".


    Bjundas

    ResponderEliminar
  37. Anónimo27.4.14

    Luiza,

    Como me fez bem ler isso, simplesmente obrigada!

    ResponderEliminar
  38. Que texto perfeito! Adorei! Eu sou viciada em instagram, em tirar fotos de tudo que vejo e às vezes a coisa foge do controle mesmo. Acho que apreciar a vida off line também é importantíssimo e faz super bem. Tem vezes que consigo, mas nem sempre...

    ResponderEliminar
  39. Otimo texto Carol! Adoro o seu blog :)

    beijos, do Paraguái.

    http://givemea-coffee.blogspot.com/

    ResponderEliminar

Subscribe