Um diário de vida, viagens e estilo.

exatamente nessa ordem

02 outubro 2012

Desde sexta-feira, foi basicamente tudo isso que aconteceu na minha vida. Não tenho fotos para comprovar, mas na sexta fui lá pra quadra da Vila Isabel assistir um show do grupo Revelação e de Péricles. Não me perguntem a razão de eu ter ido pra lá (era quase nobre), mas achei uma oportunidade incrível de fazer uma coisa que nunca tinha feito na vida: assistir um show de pagode. Não é minha praia mesmo (eu gosto de rock), mas depois de algumas doses de vodka, até prego caindo no chão vira música para os meus ouvidos.

Antes do, absolutamente colossal, Péricles cantar, eu já tinha ido embora, por uma razão quase nobre. E por uma razão quase nobre passei o sábado na praia, naquele que foi um dos dias que tive mais frio na vida. Ipanema não colaborou e transformou o dia de sol num dia de vento glacial. Por um motivo nada nobre acabei não conseguindo sair no sábado para uma festa lá não sei onde. Provavelmente mais uma bagaceira que a gente só vai por motivos quase nobres. Se é que me entendem.

O domingo acordou com sol e por motivos de nobreza maior, lá fui eu à praia novamente. Antes passei na feirinha hippie de Ipanema onde comprei esse colar dourado e escarlate e uma bolsa (que depois eu posto aqui). O sol deu o ar da graça, o vento diminuiu e por um motivo mais nobre que o motivo quase nobre que me levou à praia, eu saí de Ipanema direto pro Veloso, no Leblon. O bar de sempre, de todos os finais de semana. O bar da paquerinha, cheio de gente bonita (e desinteressante). Que ironia.

A paquera, contudo, só funciona se você estiver minimamente sóbria para paquerar. Por motivos nada nobres eu enchi a cara de caipiroskas de maracujá para esquecer os motivos quase nobres que levam a nós, mulheres, sermos tão bobas. Bebi por todas nós, de modo que não paquerei ninguém. Mas pelo menos passei a noite rindo dos comentários de uma amiga sobre os carinhas do bar.

O domingo alcóolico acabou antes da meia-noite e ontem, segunda-feira, eu sentia os efeitos daquilo que parecia ser uma ressaca. Mas não era. Era uma aparente virose, uma mistura do pagode da sexta, do frio do sábado, da desilusão de domingo e da vodka de maracujá. 

Passei a segunda-feira com febre e essa manta foi o meu look do dia. No final das contas não era uma virose. Risos. Hoje quando acordei tinha a garganta praticamente fechada e acabei descobrindo, depois de ir ao hospital, que era uma amigdalite bacteriana. Essas coisas do organismo que eu não compreendo. (entre trabalhar de casa e ir ao hospital, ainda consegui produzir mais uma ilustração!)

No final das contas o blog andou parado por isso, e esse tempo foi ótimo para me fazer refletir sobre uma teoria quase louca, mas com uma certa razão: seja qual for o motivo nobre, ele não é tão nobre assim, se transformar seu final de semana numa cartela de remédios. Entenderam a metáfora?

tem mais aqui.

Beijos, Carols
20 comentários on "exatamente nessa ordem"
  1. Suely Duarte2.10.12

    Geeeente, qta nobreza sem valor! rsrsrsrs
    lMelhoras, Carols!
    ;*

    ResponderEliminar
  2. Anónimo2.10.12

    complicado, se é que me entende hahhahah

    ResponderEliminar
  3. Vc acredita que nunca te vi na vida e acompanhando seu instagram fiquei preocupada? Percebi que não estava bem... Acho que ficou bem claro o que está acontecendo... Complicado mesmo...rs Mas não vale a pena mocinha! Se cuide!!! Sua saúde é muito importante! Beijo enorme no coração!

    ResponderEliminar
  4. Laura2.10.12

    hahahahaha morro de rir com vc!!!! muito nobre vc beber por todas nós...rsrs fui numa festa neste sábado que tb fiquei me perguntando pq fui....a mesma frequência que invade o Rio, todos bonitinhos, todos desinteressantes...triste isso....enfim, melhoras ;)

    ResponderEliminar
  5. ahn com certeza não vale, viu! mas, é bom pra gente aprender hehe!
    =** melhoras!

    ResponderEliminar
  6. Anónimo2.10.12

    Adoro te ler. Mesmo as histórias quase trágicas ficam gostosas de acompanhar. Melhoras, Carol! E valeu a pena pelo menos a reflexão né? Ajuda voce a não cair nessa de novo.
    Beijo!
    Luana Batista

    ResponderEliminar
  7. Pô, Carol, vc era minha salvação no rock´n´roll. Agora, foi desvirginada - pior - estuprada por um show de pagode (como pagode pode ser um show?)? Pior ainda: quebrou sua promessa e saiu comprando coisas na feirinha quando disse que ia conter o ímpeto consumista. Foi à praia no frio, encheu a cara no boteco e acabou no hospital com a garganta podrona... É a vingança dos deuses do rock que te emitiram acordes distorcidos de guitarra pra vc acordar pra vida e NUNCA, eu disse NEVER, contaminar-se com ia ias, io ios, meu amooor e afins. Abraço, Manu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hahahaha relaxa Manu! o que importa é a gente se divertir. adoro rock, e nunca tinha ido pra um show de pagode. me diverti do mesmo jeito, apesar de não ser fã do estilo musical! :P

      <3

      beijosss

      Eliminar
    2. Anónimo4.10.12

      Como essa manu eh ridicula. Cala essa boca. Respeite o pagode assim como deve respeitar tds os estilos musicais . Eh show sim e os melhores q eu fui na minha vida foram de pagode.

      Eliminar
  8. Quantas vezes a palavra "Nobre" apareceu nesse texto? hahahahah

    Melhoras, linda.

    =)

    ResponderEliminar
  9. HAHAHAHAHAHAHHA
    Acontece! Eu sou pagodeira, assumo. E estou doida pra ir no show do pericles. E o show do revelação é MUITO BOM. Eles estão mais pra samba do que pra pagode. Mas também curto um rock.

    Música é música pra mim. Tem dessa não. Eu gosto mesmo é de me divertir. bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pra mim também Mah!! música é música. Se for divertido tá valendo. Eu não escuto pagode nem samba no meu mp3, mas me divirto numa boa em qualquer tipo de show. (ainda mais se tiver bebendo. hehehe)

      beijosss

      Eliminar
  10. Tatiana3.10.12

    Carolis,


    To morrendo com seu comentário.. Eu gosto de rock também, mas peguei um pagodeiro num casamento que fui domingo, porque a vida não tá fácil pra ninguém e química, à princípio, não escolhe gosto musical.
    Fica bem da garganta, sua linda!

    Beijos

    ResponderEliminar
  11. Caroline®3.10.12

    Motivo (quase, nada, muito) nobre pra fazer coisas bizarras que não combinam com a gente = homem.
    Depois de algumas cabeçadas na vida, aprendi que o único motivo nobre pra me levar a fazer algo é a minha vontade (e não pode ser vontade de agradar os outros, hein?). Porque depois eu fico com a sensação de "Pra que p#$%@ eu fui perder meu tempo e minha energia com isso?" É claro que sempre se pode argumentar que o não-fazer leva a perdas de oportunidade - e se desse certo? Mas como ando numa fase realista (pessimista, diriam os alegres), eu já acho que a chance de sair algo bom dessas forçações de barra é ínfima.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo3.10.12

    motivos nobres ou quase nobres que viram cartela de remédios e gente bonita mas só que desinteressante....hum....hora de: "recalcular a rota..."
    Bjs, melhoras e cuide-se! ;-)

    ResponderEliminar
  13. Motivo totalmente nobre, é vc não deixar de postar os seus textos, nobres rsrsrs! Adoro, me divirto!

    ResponderEliminar
  14. Rosiclei Lima3.10.12

    CArol, melhoras pra vc guria...mas já q falou em rock, vc curte a banda UFO? Passei o fds ouvindo essa musica e lembrei dela na hora em que li seu texto.
    Segue o link da musica....

    http://letras.mus.br/ufo/212503/traducao.html

    BJus...

    ResponderEliminar
  15. Carolzinha!!!

    Realmente... motivos quase nobres não são motivos nobres... bom... Espero que tudo se resolva...

    Tb tive amidalite bacteriana depois de ficar até tarde na praia em copa... Acontece... rsrsrs

    Bjss

    ResponderEliminar
  16. Anónimo4.10.12

    A sua vida eh PERFEITA!!!!!

    ResponderEliminar
  17. Anónimo4.10.12

    Sru unico defeito eh n gostar de pagode rsrs

    ResponderEliminar

Auto Post Signature

Auto Post  Signature