a culpa da compra

15:51


 (este texto é exclusivamente dedicado às minhas amigas Lucila, Karina e Manu, 
que são as compradoras mais compulsivas que eu conheço. :P)


Que a minha infância foi pobre, não é novidade para ninguém. Que as minhas roupas de criança/adolescente eram as mais feias possível também não é nenhuma descoberta. Também não é inédito o fato que, dessa total privação de beleza na infância, tenha nascido minha paixão pela moda. O que é totalmente novo para você, caro leitor, é que a paixão pela moda é, na verdade, um algoz na minha vida. Não é paixão, é compulsão.

Quando eu comecei a trabalhar e a ganhar meu próprio dinheiro, isso lá nos meus idos 14/15 anos, eu tive nas minhas mãos um poder novo e desconhecido: o dinheiro. Mas eis que minha mãe, que teve uma infância miserável, estava do meu lado para me aconselhar a como usar o meu dinheiro. "Filha, faça uma poupança. Filha, economize. Filha, não gaste seu dinheiro suado com futilidade. Filha, não gaste seu dinheiro, pense no futuro." Sem saber, mamãe, que é a pessoa que menos gosta de consumir que eu conheço, transformou meu prazer em comprar uma peça nova, num pesadelo sem proporções.

Eu sei que ela não pensou nisso, nem fez por mal, mas o que aconteceu é que, ao invés de eu aprender a administrar o meu dinheiro, eu tive que aprender a administrar a dor da minha compulsão. E eu nem me considero a pessoa mais doente do mundo.

Mamãe nem sonha, mas agora ela vai saber, que quando eu era adolescente eu escondia o que comprava para ela não me dar aqueles conselhos maternos de "economize para o futuro". Eu entendia o que ela queria dizer: a vida sempre fez questão de mostrar pra nossa família o quanto era difícil ganhar dinheiro. Mas eu era adolescente e eu queria ser igual a todo mundo, e ser igual a todo mundo significava me vestir como todo mundo se vestia. E tá aí uma coisa que não acontecia na minha casa.

A pressão psicológica de não "poder" comprar e ter que fazer isso escondida, acabou sendo a válvula de escape para uma ansiedade sem fim e uma vontade de louca de comprar e "precisar" de tudo. Sempre. Até estourar o cartão, até acabar com o saldo do banco, até fazer dívidas. E foi assim, quando eu já estava longe de mamãe, eu cá e ela lá do outro lado do oceano, que eu cheguei ao fundo do poço do consumo. E foi assim também que eu aprendi, SOZINHA, a administrar o meu dinheiro.

Hoje eu separo todos os meses um din din pra poupança, pago uma aposentadoria privada, não tenho cartões de crédito e tudo o que eu compro é à vista, não devo a ninguém e meu nome nunca foi pro SPC. Passei meses sem ir ao shopping para poder parar de comprar, parar de querer ser igual. O blog foi também uma parte considerável de terapia, de como consumir bem, por bem menos do que uma loja de galeria poderia me oferecer (mas eu consumo bem mais por conta dele. que ironia).

Mas e o que acontece agora quando, mesmo depois de pagar todas as minhas contas, de separar dinheiro, de pensar no futuro, de economizar nas compras, eu entro numa loja e decido comprar alguma coisa? O que acontece no meu corpo e na minha cabeça, quando eu passo o cartão, seja qual for o valor?

Eu viro adolescente.

Sofro pra decidir se levo ou não, se preciso ou não (por que parece sempre que eu tenho a urgência da necessidade). Brigo com a minha própria vontade e nunca acho que mereço a recompensa do meu trabalho. Rezo para que todas as roupas vistam mal quando eu for no provador. Suplico ao universo para que aquela sandália linda seja super desconfortável ou não tenha o meu número, por que eu tenho que pensar sempre no futuro, e naquele apartamento que eu não tenho como comprar. Espero que qualquer coisa mágica aconteça e faça com que eu não tenha vontade de comprar seja o que for. Seja qual for o valor.

Pra mim, a compra não é um prazer, é uma agonia do estômago à boca do caixa. E como se eu fosse uma masoquista inveterada, eu vou lá e compro e compro e compro. E assim, aquela sacola tão leve, com apenas duas pecinhas, se torna uma culpa tão pesada. E tá aí uma coisa sem graça.


Este texto todo é só pra dizer que comprei mais uma sandália. E que eu estou arrasada.


( e vocês, meninas, como se sentem quando compram compulsivamente?)

Beijos, Carols

You Might Also Like

75 comentários

  1. hahahaha tem certeza que tu tava falando da tua mãe e não da minha? =P

    "Sofro pra decidir se levo ou não, se preciso ou não (por que parece sempre que eu tenho a urgência da necessidade). Brigo com a minha própria vontade e nunca acho que mereço a recompensa do meu trabalho. Rezo para que todas as roupas vistam mal quando eu for no provador. Suplico ao universo para que aquela sandália linda seja super desconfortável ou não tenha o meu número"

    esse trecho me define bem, e por eu ser gordinha e peituda, dos ombros largos, até que é fácil da roupa não cair bem kkkkkkkkk

    também guardo na poupança, só em falta a previdência privada, e tenho um cartão hipercard que é pra poder parcelar algumas coisinhas, pricipalmente pela internet =P

    ResponderEliminar
  2. eu tenho um hiper tb Alice! só pra minha tia parcelar. eu não! hehehe. tô precisando desesperadamente passar uns tempos sem ir no shopping, pra aliviar minha consciência. :P

    ResponderEliminar
  3. Bem, Carol, eu adoro comprar, principalmente roupas e livros. No final do mês, quando o dinheiro está a conta fico super mal... Eu tenho pensando em quebrar meu cartão de crédito e parar de comprar com ele. Como você sobrevive sem cartão?!?!?!?!?!?

    ResponderEliminar
  4. Nossa Carol tbm sou assim, quando criança só comprava roupa no são joão e final de ano dai quando comecei a trabalhar saia comprando tudo e tudo e tudo e tudo e não vi meu nome no SPC mas me via pendurada em cheque especial, devendo horrores, sem grana nem pra chegar no final do mês, era uma tormenta. Dai esse ano tomei uma decisão de gastar menos com "futilidades" e investir mais em mim...sai do trabalho mas com a grana da rescisão, FGTS, paguei TUDO o que eu devia e finalmente, tirei minha carteira de motorista que estava pendente a séculos porque meus cartões estavam sempre estourados e fiquei tão feliz quando cheguei na auto escola e paguei à vista, rsrsrsrsrs. Estou recém formada e ainda estou sem trabalhar, mas graças a Deus e a minha força de vontade não estou devendo a ninguém, só compro à vista e meus cartões escondidinhos (tô pensando em quebrar pra não haver recaída).

    Desculpa o longo comentário mas me identifiquei bastante com esse post até no último parágrafo...vc está arrasada por ter comprado uma sandália e eu porque ontem comprei um macacão na feirinha do Recife Antigo...nem precisava mas a compulsão falou mais alto. =/

    Beijos♥
    http://enxeridas.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Ah! nem tenho poupança, nem previdência...vou providenciar isso para iniciar no ano que vem! rsrsrsrs

    ResponderEliminar
  6. Monick...quebre esses cartões! É o único conselho de compradora compulsiva que eu posso te dar. Mais cedo ou mais tarde a gente acaba caindo em tentação, amém! hahahahaha

    eu tô precisando parar de comprar bagulhinhos também viu. num tá fácil não. estou uma verdadeira acumuladora de tralha. Mas vamos superar né? :)

    bjoss

    ResponderEliminar
  7. Larissa7.11.11

    Eu sinto que deveria estar gastando esse dinheiro de uma forma mais produtiva. Não me sinto culpada, por exemplo, de estar gastando 300 reais em um livro pra faculdade porque eu sei que vou precisar muuuuuito!
    Mas ai vem a parte de quando eu estou realmente necessitada de uma peça de roupa (um jeans novo, ou qualquer coisa). Eu sou muito chata pra comprar roupa. Só compro quando gosto do fundo co coração (se n, 3 meses depois ja enjoei), quando me sinto confortável nela e quando acho que me veste bem. Isso é uma tarefa quase impossível para uma roupa.
    Ai quase sempre acabo gostando das que são muito mais caras e não levo! Ou levo e fico achando que vai dar merda...

    ResponderEliminar
  8. É Larissa! eu já sou o contrário...qualquer porcaria eu tenho vontade de comprar. E sempre saio da loja pensando: poxa, esse dinheiro poderia ser uma conta paga, uma doação, um livro novo...qualquer coisa mais útil que roupa! mas...no final das contas se eu sempre pensar assim, realmente não vou viver né? vou me privar de tudo, pra não me sentir culpada. euuu einnn! tô é precisando de terapia! heheheheh

    =***

    ResponderEliminar
  9. Bruna...eu sobrevivo sem cartão tranquilamente! aliás, quando eu tinha cartão, eu me sentia ainda pior de parcelar as contas. agora pelo menos, quando o começo do mês chega, eu começo as contas do zero. é bemmmm melhor! :)

    ResponderEliminar
  10. Carol, já disse que super me identifico com você?
    Adorei o texto, eu acho que eu sou uma consumista de fases.

    Mês passado eu estava extremamente consumista. Esse mês tem que ser diferente. Já recebi o salário e guardei tudo que pude na poupança.

    Estabeleci uma meta de carreira: Fazer mestrado em design aí na sua terrinha. Pra conseguir eu preciso estudar e guardar $$ pra me virar numa cidade nova.

    Vez por outra eu saio de casa com a cabeça de consumista e só compro se realmente valer a pena e se eu for usar, afinal de que adianta você comprar uma blusinha de 19,90 se você vai usar só uma vez.

    Não é pão-durismo meu, mas, ao pegar numa peça eu penso e repenso 10 mil vezes já que meu guarda roupa é lotado de coisa e nunca é o suficiente pra mim.

    Estabeleça necessidades, eu por exemplo, estou precisando de sapatos pois no meu guarda roupa só tem tênis hehe

    Tente reformar roupas velhas você ganha uma roupa nova, se livra da velha e nem gasta muito.

    Belo texto Carol, deveria postar mais

    Beijo grande =*

    Carolys

    ResponderEliminar
  11. Amanda7.11.11

    Adoro esse blog!

    ResponderEliminar
  12. Foi legal ver teu desabafo, ver que vc não é que nem essas blogueiras que acabam perdendo a noção das coisas, do "valor do real". Isso é importante, sabe?
    Eu acho que essa culpa de fazer comprinhas "indevidas" todo mundo tem. Principalmente todo mundo que paga conta (aquelas que tem cartão do papai liberado não entram aqui!).
    Mas eu acho que vc tem que se policiar pra também não se cobrar demais sabe? Afinal, se vc gosta de comprar certas coisas (lembrando que vc não tá comprando um sapato de 3 mil reais da Gucci, e sim uns de 200 ou algo do tipo).

    Um exemplo legal é o meu namorado:
    ele adora comprar. hahaha
    Sério, ele gosta mesmo, ele tem noção das coisas mas ele se sente bem sabendo que comprou tal coisa com o dinheiro que ele passou o mês trabalhando pra ganhar e ele não se sente nem um pouquinho culpado por isso. Acho que eu que seguro mais ele nas compras...

    Acho legal essa visão dele, de não ter medo do futuro, de acontecer uma merda e ter que usar o dinheiro da poupança (mais o meu perfil de pensamento hahaha). Enfim, acho que a gente tem que buscar o equilíbrio. Nem gastar demais, nem de menos. No meu caso, meu equilíbrio é ele e eu sou o dele.
    Deve ser por isso que funciona :)

    ResponderEliminar
  13. Menina, eu sou assim também! Compro e já saio da loja meio mal. Minha mãe fica: "tem problema não, Dilinha, dá pra a gente pagar parcelado", mas mesmo com toda a alegria que eu tô de finalmente poder ter aquilo no meu guardarroupa, eu fico tipo "caramba, mais uma vez o gasto familiar foi de roupas e trecos pra MIM."

    É por isso que eu evito passar na frente das minhas lojas preferidas, haha

    ResponderEliminar
  14. hehehehehehehe...
    Acho que se vc for usar e estiver dentro do seu orçamento, não tem problema! Também acho que todo mundo exagera em algo em algum momento da vida... é normal! =D

    Carol, meu bem, me diz: o que vc faz quando compra alguma roupa e não consegue usar? Na pegada "adorei na loja odiei em casa".

    ResponderEliminar
  15. Eu tô passando pela mesmíssima situação! Me atolei de contas e consegui me controlar, mas agora é um sofrimento comprar, uma confusão só na minha cabeça! Hoje eu comprei, com o maior peso na consciência, depois de uns 3 meses foi a minha primeira compra. Nunca sei ao certo quando devo ou não comprar e sempre rola um arrependimento, ainda não achei o equilíbrio, mas a gente consegue! ;)

    ResponderEliminar
  16. Carolys!!

    faço demais isso. reciclo minhas roupas. quando a culpa é tão grande a ponto de eu endoidar por ter coisa demais, eu simplesmente cato um monte de coisa e dou pra minha irmã! Só isso pra amenizar o peso da consciência e do guarda-roupa!

    -----------------------------------------

    Vanessa! Meu namorado é igual o seu. compra sem culpa, mesmo não sendo um compulsivo. E ele sempre tenta me acalmar dizendo que eu mereço comprar minhas coisas pq trabalho demais e tal. Ele é bem compreensivo nesse aspecto e, ao contrario dos homens em geral, raramente ele condena alguma coisa q eu compre. É tão bommmm! pelo menos com ele eu não me sinto mal. heheheh <3

    ----------------------------------------

    Ádilla, que babado né? a gente se sente mal mesmo. faz mais de 10 anos que minha mãe não compra coisas pra mim...sempre sou eu que compro com o meu $$, mas sempre penso que poderia ajudar com alguma conta em casa, em vez de comprar um sapato né?

    ----------------------------------------

    Larissa...isso acontece TANTO comigo! mais do que eu gostaria. Muita coisa eu compro e uso uma única vez. Se a peça for cara, eu deixo no guarda-roupa até ter coragem/inspiração pra usar de novo. Se for baratusca, eu dou pra minha irmã! hehehehe Ela sempre acaba lucrando!

    --------------------------------------

    Ayna...a gente consegue. quando eu conseguir, eu coloco a dica aqui no blog! hehehe pelos vistos não estamos só nessa batalha bolso x compras. :D


    beijosss

    ResponderEliminar
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  18. Rs....amei o post!!! Principalmente depois de ler a última frase, após todo o relato de sofrimento, se tornou uma comédia-dramática!!! :-)
    Mas entendo bem o sofrimento, já senti algumas vezes e acho que sempre irei sentir!!!

    Bjs

    ResponderEliminar
  19. kkk Carol, às vezes eu tbm torço pra roupa cair mal!!! Não sou compulsiva mas já sofri algumas vezes sim, como todo mundo, eu acho... Vanessa da Mata tem uma música que fala com bom humor daqueles casos mais graves de compulsão, quando a gente compra pra suprir carências, mascarar problemas,eu acho bem legal:

    Bolsa de Grife

    Comprei uma bolsa de grife
    Mas ouçam que cara de pau.
    Ela disse que ia me dar amor
    Acreditei, que horror
    Ela disse que ia me curar a gripe
    Desconfiei, mas comprei
    Comprei a bolsa cara pra me curar do mal
    Ela disse que me curava o fogo
    Achei que era normal
    Ela disse que gritava e pedia socorro
    Achei natural

    Ainda tenho a angústia e a sede
    A solidão, a gripe e a dor
    E a sensação de muita tolice
    Nas prestações que eu pago
    Pela tal bolsa de grife

    Nem pensei
    Impulso
    Pra sanar um momento
    Silenciar barulhos.
    Me esqueci de respirar
    Um, dois, três
    Eu paro
    Hoje sei que tenho tudo
    Será?
    Escrevi em meu colar
    Dentro há o que procuro

    Ainda tenho a angústia e a sede
    A solidão, a gripe e a dor
    E a sensação de muita tolice
    Nas prestações que eu pago
    Pela tal bolsa de grife

    Meu amigo comprou um carro pra se curar do mal...

    ResponderEliminar
  20. realmente,to vendo que isso é uma questao comum a todas as mulheres...
    sempre gostei de fazer compras,e como voce tambem tive uma infancia muito privada [de tudo,de alimentacao a vestuario] e hoje,quando pego em dinheiro nao sei guardar,nao consigo ter visao do futuro,sabe?quero algo que me de alegria no momento e depois fico me martirizando por dentro,pensando que poderia ter usado o dinheiro de uma forma mais útil.
    mas o que mais me dá raiva mesmo é ter no meu guarda roupas peças que comprei ha quase um mes e que ainda nem usei! com isso eu fico louuuuuuuuuuca, pq aí fico pensando que 'a roupa nao se pagou'!
    imagina que doideira...rs...

    ai, ai... ser mulher é dose!

    ResponderEliminar
  21. Karina Reginatto7.11.11

    nossa, Carol! Você é demais!
    descobri seu blog através do Garotas Estúpidas e depois nunca mais entrei no GE. É muita futilidade...
    Você é muito mais verdadeira.
    Adoro sua história de vida. Me emociona!
    Beijos aqui de Porto Alegre, tchê.

    ResponderEliminar
  22. Poxa eu vejo minha adolescencia em seu texto,a diferença é que eu tive filho nova,agora tenho tres e ñ trabalho,ai vivo do dinheiro do marido que é pouco,e tem as crianças as contas....
    A minha situação é um pouco diferente quando entro na loja fico feliz quando nada fica bom,mas quando fica e eu passo o cartão é uma alegria e logo penso a vida me deve isso ela ja me fez sofrer de mais,eu mereço,ai quando chego em casa que a realidade vem percebo que terei que fazer malabarismo pra pagar meu mimo.
    Mas ñ fica triste ñ,você é linda,inteligente,trabalha,você merece este presente,é fruto do seu esforço,é sua recompensa,e se é isso que te faz feliz,estar bem arrumada com uma sandalia maravilhosa no pé(amo sapatos) então não tenha medo você trabalhou o mes todo,ela é sua!

    ResponderEliminar
  23. Menina, estou pior do que lisa, estou endividada! Reduzi muito o consumo de roupas e sapatos, mas mesmo assim ainda estou vivendo na rebarba de tempos antigos e junto com o ap... PQP. Meus cartões foram direto para o fundo do armário. Ainda preciso deles porque montar casa só parcelando, mas espero que eles só saiam para um fim específico.

    Para acabar com seu sofrimento, tenta mudar o pensamento na hora da compra. Pense nos looks que você pode criar com essa peça, imagine fotos para o blog. Não faça dessa hora algo tão sofrido. Controle o pensamento.

    Beijão/

    Dani
    @eunaosoumodelo

    ResponderEliminar
  24. Carol, sempre visito seu blog, adoro seu texto e suas fotos! Hoje resolvi comentar! :) Também fico com um pouquinho de peso na consciência depois que faço uma compra, apesar de conseguir guardar um pouco na poupança também! O meu problema é que eu fico me segurando umas semanas e não compro absolutamente nada, aí chega um dia e resolvo "comprar umas coisinhas pq mereço" aí vou lá e compro mais do que o necessário e fico com esse sentimento de culpa. O segredo é o equilíbrio, pra tudo na vida né! Se você tiver argumentos que expliquem (com sensatez) o pq da compra, aí é correr pro abraço e ser feliz! Beijos

    ResponderEliminar
  25. Aí jesussss as vezes me sinto assim tb.

    Faz um tempão q acompanho o blog, mas nunca comento, ;) sou d Recife mas moro em Caruaru a um tempinho e também tenho um blog olha lá www.simplesechique.com e ontem começou um sorteio, participa tá, bjs

    ResponderEliminar
  26. Parabéns pelo blog!!
    Confesso que sou viciada em blogs de moda, e de uns tempos para cá vi todas as blogueiras ficarem sem conteúdo e virarem garotas compradas, quero dizer, garotas propaganda de marcas...e numa dessas visitas ao blog da Camila Coutinho, achei seu blog....e estou super fã!! Parabéns, adoro seus textos e fotos...o conteudo dos seus post e o estilo como fala da sua vida ....

    ResponderEliminar
  27. Becky Bloom??? Sou eu!!!! Mas, meus delirios sao pesadelos.... Passei uma infancia e adolescencia tipicamente igual a sua... roupas usadas, raramente minha mae tinha grana pra comprar roupa novas pra nos (eu e minhas irmas). Dai quando cresci e comecei a trabalhar.... pronto.... compulsiva por tudo, de roupas a livros.... ainda to sofrendo com as dividas que acumulei.... Eh meio doentio mesmo... eh tipo bulimia, alcoolismo, anorexia.... essa coisa de estah se recompensando..... Digo sempre a Deus, que so quero mais um dia "limpa"... mas tem horas que escorrego legal. Mas, to tentando e o que vale eh que reconheco-me doente, e o passo pra curar comeca ai.
    Gracas a Deus, apesar de tudo, consegui comprar meu ap.... e hoje ainda nao consigo juntar uma grana.... mas, acho que devagar chego la.
    Bom saber que nao estou so.....

    ResponderEliminar
  28. Patrícia!

    não conhecia essa música. hehehe fui catar no youtube! com certeza são carências que a gente supre comprando o que não precisa. é exatamente isso. Concordo em género, número e grau com a música. :)

    ----------------------------------------------


    Karina!! obg pela visita!! mesmo sendo um perfil bem diferente do perfil do meu blog, eu gosto bastante do GE. é tipo uma revista electrônica! :) o meu blog é bem mais pessoal e fico feliz que você tenha gostado e se identificado! :)


    ----------------------------------------------

    Daniii..quando eu morei só tb foi um liseu desgraçado amiga!!! achei que nunca ia sair do fundo do poço! haahahahah mas depois passa, e o cartão fica! \o/

    ----------------------------------------------

    Adrielly, Priscula e Juliana


    pq a gente é assim einnnnnn???? nascer com o dom da economia a gente num nasce né? multiplicar nosso $$ feito Eike Batista tb não…agora gastar…é com a gente mesmo! hahahaha vamos mudar isso pelamordedeusss! :D

    ----------------------------------------------

    Manuela!

    tas melon que eu! eu cumpri o primeiro passo que é reconhecer que eu estou comprando de forma anormal…mas posa…tu já conseguiu o ap amiga!!! vou seguir seu exemplo e correr atrás do meu! hehehehehe


    beijoss

    ResponderEliminar
  29. Caroooooooooool, eu li agora uma descrição da minha vida! hehehe Tive uma infância bem parecida com a sua, usava roupas usadas doadas ou novas se eu ganhasse de presente. Minha mãe, até por ter sofrido muito quando criança, sempre me deu os mesmíssimos conselhos que sua mãe lhe dava. E confesso que até hoje, com 22 anos nas costas, ainda escondo coisas que eu compro pela culpa de ter comprado e para evitar mais uma vez o conhecido sermão "economize que hoje você tem, mas amanhã ninguém sabe". Pense num sofrimento!
    Engraçado que estou compartilhando com você do mesmo sentimento hoje: comprei um short que não precisava, passei uns 40min no provador tentando encontrar um mísero defeito até que decidi levar. Saí da loja quase com uma lágrima descendo! hahaha E sabe onde está o bendito? Guardado bem escondidinho debaixo de todas as roupas empilhadas no armário, para não correr o risco de mais uma alfinetada materna, caso ela veja HAHAHAHA
    Me sinto uma criança fazendo isso. E o jeito?
    Beeeeeeeeeijo!

    ResponderEliminar
  30. Nossa, e eu achava que estava sozinha nesse mundo. Eu, ultimamente tenho que me sentido assim. Na verdade, nunca trabalhei pra valer, vivo estudando, ganhei bolsa na faculdade e agora ganho bolsa no mestrado também, é uma grana boa, aliás, pra mim é muuuuito boa, mas eu não sei como administrá-la, to passando um perrengue, me minha mãe sempre diz, também para eu poupar, e como vc, tive tbm uma infância dificil.
    E, tbm, no alge dos meus 22 aninhos, com a conta gordinha graças ao mestrado, estou ficando louca..hehehe...
    estou tentando me controlar, vamos ver no que vai dar...
    Beijos!!!

    ResponderEliminar
  31. Poxa Carol, fica fria siá, pq não é só vc que fica assim, que é assim, que vive assim! Eu sou Professora de meu pequeno município, e sei o que é viver com essa dor aie, pq aqui as professoras precisam ser: Mal amadas, mal cuidadas, mal vestidas, mal em tudo sabe! E eu tento fugir a esta regra com todas as minhas forças, e acabo sendo esteriotipada como consumista!

    Vc merece, eu mereço gastar com o que quisermos o nosso dinheiro, suado, super trabalhado, caramba, a vida que temos é só essa, perdi meu irmão mais velho em janeiro e a lição maior que ele me deixou foi viver a vida em toda sua intensidade, ser feliz, fazer coisas que nos agradam, parece aquele blá blá de auto-ajuda, mas não é, descobri que tudo isso é verdade amiga!

    Boa viagem, aproveite, divirta-se, faça lindas fotos, pq eu e muita meninas estaremos aqui te esperando ansiosas por vc!

    ResponderEliminar
  32. Adorei o post, obrigada por compartilhar. Adorei as dicas, vou praticar, mudar meus habitos...

    Kisses,
    Carol

    ResponderEliminar
  33. parece que foi pra mim esse post, passei pela tal angústia da boca do caixa essa semana, numa ida ao shopping depois de meses sem comprar.

    sempre fui controlada com dinheiro, moro só desde os 18 anos e nunca deixei faltar pras contas, e sempre guardei um pouquinho na poupança, mas não resisto a uma liquidação na C&A, e isso ficou pior depois que comecei a estagiar numa empresa de design de acessórios (ficar com as anteninhas ligadas nas tendências acabou me custando muita grana, hahaha)

    mas foi minha poupancinha que me salvou quando larguei o emprego pra tentar o mestrado. passei quase 8 meses vivendo de rescisão, poupança e uns freelinhas, e só tirei o escorpião do bolso pra comprar os livros do mestrado. Aí agora que o mestrado saiu, a bolsa saiu e de quebra ainda arrumei um freela fixo feliz, baixou a becky bloom que estava presa no armário esse tempo todo. e ok, eu tava precisando e tal, mas é sempre aquela culpa horrível, a sensação de que gastei dinheiro à toa, que podia ter ido pra a poupança, que juntando todas essas comprinhas idiotas daria pra viajar e fazer mil coisas. bad vibes demais pra umas blusinhas e uma sapatilha de glitter.

    ainda preciso voltar aos eixos (tou comprando demais, não só roupa, mas livros e coisas pra casa - mais um problema de quem mora só), mas a lição que ficou pra mim em 2011 é que é sempre bom ter o colchãozinho de segurança pra o caso de alguma merda acontecer, hehehe.

    ResponderEliminar
  34. Anónimo7.11.11

    Carol primeiro quero dizer o quanto te acho linda, perfeita, de um bom gosto incrível, tenho me inspirado mto nos seus looks (mentalmente já explico)pois acho todos mto criativos, como se a sua cabeça viajasse profundamente nas formas , cores, modelos, e me parece que vc "Engenhou" aquele modelo nos mínimos detalhes e aí ele ficou assim perfeito, PERFEITOSSSSSSSSSSSS!!!!!!!!

    Olha padeço de boa parte de toda a sua história, só que hj a minha realidade financeira não me permite compras, além de que o corpinho depois de 3 filhos ficou lascado......então é bem difícil encontrar algo pra comprar, qto mais ser fashion, criativa...Tento pelo menos aparentar próximo dos meus 34 anos e não uma velha Matrona(écomo eu me sinto com as poucas roupas que ainda encontro no meu tamanho). A minha dor é que as vezes eu acho algo, como este fim de semana, amei um vestido na C&A, me serviu, eu gostei, mas meu marido me olho com aquele olhar, tipo, um Jeans não seria mais util??????? E daí o que minha mente traíra me fez???? Levei o vestido até o caixa e abandonei o bichinho no balcão, pq R$ 99,00 pra mim ainda é mto. Mas é mto mesmo, ou tenho anos de repressão em meu coração, me dizendo que eu não mereço aquilo??? Sofro pq amo roupas, Amo as formas, combinações, padrões e cores, e isso desde mto pequena, e como sofro por achar que todos possuem um gosto melhor que o meu????????Sofro por não ter tudo aquilo que era possível, mas minha mente me bloqueou. Desculpe o desabafo, mas achei que este espaço era perfeito pra eu soltar esta minha dor......
    PS: vc me faz sofrer com a sandália de onça, com a saia branca do brecho, lenço de onça, e o seu Oxford comprado na feira que tem um padrão perfeito com a camisa branca, sério sinto vontade de chorar de tanta perfeição, ai acho que to precisando de sério tratamento, kkkkkk, bjos da Lú!
    4

    ResponderEliminar
  35. Geeeente, não estou sozinha no mundo! Eu tb sofro viu! Acho q eu não sou tão compulsiva com as compras, mas eu sempre me sinto na obrigação de pesquisar o preço! Sempre que me apaixono por algo caro fico tentando provar pra mim mesma que nao preciso daquilo! E fico sofrendo ate que acontece algo e eu vou lá e compro, pq me stressei e precisava esfriar a cabeça ou pq merecia depois de um dia difícil. Mas a verdade é q eu fico procurando uma desculpa pra ter menos culpa no cartório, por comprar algo caro por vaidade!
    Acho q precisamos de terapia hein! Vamos pedir um desconto e fazer um pacotao! Todas pro analista djá! hahaha
    Bjs Carol, fica com Deus!

    ResponderEliminar
  36. Eu me senti culpada quando atingir a marca de 1000 reais no cartao por conta de maquiagens. Aí vi q estava beirando a loucura e fiz a meta de nao comprar nada até o fim do ano. Esta sendo muito bom pra mim, pq estou focando agora em outras coisas (mais vira e mexe quero comprar!).

    Nao se sinta culpada por isso, o dinheiro é seu. Compre o q puder e nao se meta em dividas, como vc fez. Nao esta fazendo mal pra ninguem, nem pra vc mesma (quero fotos da sandalia hahaha).

    ResponderEliminar
  37. Me sinto EXATAMENTE assim. E olha que eu não compro mto. Mas posso comprar apenas uma blusinha no ano inteiro e me sentirei culpada do mesmo jeito.

    ResponderEliminar
  38. Uau, Carol! Eu sei exatamente do que você está falando, hehehe! Eu sempre tive roupas acessíveis, praticamente na minha mão, já que meu pai é dono de loja de roupa, então eu nunca comprei roupas e sapatos compulsivamente, visto que eu sempre peguei de graça na loja dele... Mas só! Todo o resto que eu quero comprar, que vai de um brinco de bijouteria a um super computador, me deixa nessa mesma ansiedade... Odeio gastar por gastar, penso MUITO, mas muito mesmo antes de comprar, e acabo não comprando - e nessa parte a gente é diferente, HAUHAUHAUHA! Só que o sofimento pré-compra é o mesmo... Chato isso, né...
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  39. é Trágico! Mas de fato, a culpa de comprar pode ser mesmo muito pesada.. senti isso quando no mês passado comprei ( numa febre de compulsão), um babyliss que nem por cristo pega no meu cabelo!!!!
    Visito seu blog há mais ou menos um mês e meio, aprecio suas fotografias, (cenários, looks e angulações)e agora acabei de virar fã dos seus textos!
    Não é uma coisa comum, ver blogueiras escrevendo assim, tão de coração e mente abertos;Parabéns!
    e desejo a você uma melhor e mais satisfatória,próxima compra!
    Bjao

    ResponderEliminar
  40. Rafaela7.11.11

    Também escondo as sacolas da minha mãe...

    ResponderEliminar
  41. Mari MS7.11.11

    Carol, achei seu post bacanísssimo (existe essa palavra?!) por dois motivos: primeiro pela forma verdadeira como vc falou da sua infância e adolescia. Numa blogsfera onde é normal posar com bolsa chanel, acho sua coragem admirável.
    Segundo, a forma como vc descreve sua compulsão por compras, é exatamente como me sinto, e acredito que deve ter muitas meninas assim!
    Já meti os pés pelas mãos financeiramente e também aprendi a controlar meu $ sozinha.
    Acho que essa compulsão pelas compras é um vicio como qualquer outro, em que a gente tem que falar todo dia: "só por hoje, não vou gastar"

    ResponderEliminar
  42. Carol, super me identifiquei com esse post hahaha
    tb vou pro provador torcendo pras roupas ficarem horríveis. kkkk
    difícil essa vida viu?!

    bj:*

    ResponderEliminar
  43. A CULPA DE CAROL
    só passando pra te dizer que a sra. é uma das mais culpadas por me fazer ter vontade de ter(igual)e comprar(igual),e só pra lembrar que eu não tenho dinheiro pra isso,meu boy não me dá força e diz que eu trabalho muito,que eu mereço,mas diz que esse negócio de blog tá me deixando louca e vai me levar a falência.
    BeijO!

    ResponderEliminar
  44. Anónimo8.11.11

    Nossa, minha primeira visita aqui e já encontro um post desses. Quanta coragem...

    Como você, também tive dessas infâncias apertadas, no meu caso, filha única, todo dinheiro era para a educação. Não tinha essa de comprar roupa, sapato, de casa bonita. Minha mãe também não sabia lidar com dinheiro, sempre gastava tudo: com minha educação, com nossas contas, mas também dando aos irmãos. Às vezes, pegava todo o décimo terceiro e dava a algum irmão, como uma vez comprou uma máquina para minha tia, que nunca foi usada. Ela não era vaidosa e achava tudo isso de aparencia uma tremenda bobagem.

    Quando comecei a ter dinheiro também enlouqueci. Nunca tive poupança, nem tenho até hoje. E a compulsão de comprar foi mudando com o tempo. Antes eu me dizia que estava investindo em cultura, então comprava cds e livros como louca, como uma rica. Depois, na faculdade, eram cursos e livros. Agora são roupas e sapatos.

    Os sentimentos são sempre de "necessidade", "aproveitar essa oportunidade" e depois "frustração total". Tenho sapatos e bolsas que comprei no começo do ano e ainda nem usei. Minha fase fashion também mudou: no começo comprava um monte de coisas baratas que logo deixava de usar. Agora vivo mergulhada nos outlets, comprando "pouco", mas caro.

    Uma tristeza só. Principalmente porque já passei dos 30. A sensação de fracasso também é grande. Poxa, com essa idade, não consigo segurar as rédeas da minha vida! Como não tenho uma poupança? Por que diabos "preciso" tanto, se na verdade sei que "não preciso"?

    Estou reunindo forças para mudar isso. Quero muito fazer assim como você, de ter a poupança, a previdência privada e aí sim, ter um dinheirinho para pequenos luxos, mas sem extrapolar.

    Beijos e obrigada por seu desabafo. Ajudou muita gente também a desabafar, né? rsrs

    ResponderEliminar
  45. Laíza8.11.11

    Bem Carol, entendo o drama.

    Ano retrasado fiz uma cirurgia estética e fiquei me achando, eu ia no xópis e tudo ficava lindo em mim! Comprava sem pensar. Nada caro, sempre comprei no trio Renner/ CeA / Riachuelo.Comprei tanta coisa que fiquei sem ter onde guardar.

    Antes minhas maquiagens cabiam numa caixa menor que a de um sapato, comprei tanta coisa que meu amor deve de fazer UM MÓVEL para eu guardar as makes.

    Sapatos? Eu tinha uns 8 pares, número que triplicou.

    Resultado: conta no vermelho, armário sempre bagunçado e a grande culpa no coração. Entulhei tanta coisa que nem sei o que tenho aqui em casa. E o pior é que moro num apê minúsculo, com guarda roupa pequeno que divido com meu marido.
    O que me deixa mais angustiada é não conseguir usar tudo que tenho de um jeito legal porque não consigo me organizar. Meu armário está vomitando roupa e eu tenho a sensação de que nao o que vestir todos os dias pela manhã qdo vou trabalhar.

    Então parei de ir ao xópis para evitar os gastos, e funcionou. Arrumei minhas contas e estou bem folgada. Mas não pense que os problemas acabaram, por nao comprar mais roupas e não conseguir coordenar minhas pecas, comecei a desleixar no visual, usar jeans camiseta e sapato há todos os dias, e desleixei tb na dieta, engordei e as milhares de peça q comprei no ano passado estão desconfortáveis em mim. Eu me recuso a comprar mais roupas com tamanho maior, não posso mais gastar como fiz, não consigo mais. Assim sendo, estou
    sem roupa mesmo. Sem falar na depressão de vestir mil peças de manhã e nenhuma caber. Isso gera uma ansiedade terrível que me faz descontar ainda mais na comida.
    Comprar em excesso faz mal. O bom é separar uma quantia x por mês e gastar só aquilo, porque deixar de comprar roupas e futilidades que nos deixam bonitas, tb nao faz bem. Vejam meu caso.

    E Carol, não se sinta o ser mais fútil por comprar roupa e gostar de moda. A moda é mais uma expressão artística. E mais que isso, para mim tem haver com auto estima, com me sentir bem quando olho no espelho. Pq se a gente se cuida, anda sempre arrumado há e xeirosa, a gente se ama muito mais, e isso é refletido em todas as áreas da nossa vida. Acredite, bjos vou procurar o q vestir ali. Rs

    ResponderEliminar
  46. mariana bragato8.11.11

    Nossa Carol, que lindo!! Copiei e colei.. mandando em corrente por e-mail, mesmo sabendo q tem gente q odeia isso; Acho que esse dilema, não é só seu, é meu e de tantas outras meninas

    ResponderEliminar
  47. Haha.. comigo acontece uma coisa parecida, mas com comida... amo comprar roupa, mas sou meio mão fechada, acho um absurdo as roupas de lojas de departamento com uns tecuidinhos levinho e caríssimas... Prefiro o velho e querido brechó. Mas quando o assunto é comida ai eu nem penso duas vezes (parece a baleia louca falando), eu sempre gostei de comer bem e com qualidade, nem que eu tenha que investir um pouquinho mais, mas adoro comidas diferentes, de países diferentes.. Por isso estou precisando sair dessa compulsão.. decidi que a partir de agora vou separar um dinheiro pra comprar uma pecinha diferente e deixar de gastar tanto com comida... Mas sempre bate a vontade quando vem chegando o fds.. Triste essa vida de consumismo.
    Obs.: Quando descobri seu blog não paro de ler.. adoro a forma como vc trata a moda, bem semelhante a minha.. Gostar de estar bem e não precisr pagar caríssimo por isso.
    Bjs

    ResponderEliminar
  48. Francine8.11.11

    Carol, eu entendo você porque eu vim de uma familia pobre e sempre fico me culpando das compras e olhando para a minha conta bancária depois...
    Mas sabe o que eu acho? A gente tem uma vida só. Nem todo prazer é pecado... Se você pode comprar e satisfazer sua vontade, ok, FAÇA! Não passe vontade... Dinheiro passa, roupa passa, tudo passa nessa vida, menos os pequenos momentos felizes na vida, e entre esses momentos está o de olhar no espelho e se sentir uma gata.
    Tudo é bom com equilibrio. Enjoy it!
    Ah, como eu nunca comento... queria aproveitar e dizer que adoro seu blog :-)

    Beijos

    ResponderEliminar
  49. Carol, adorei o post.
    Mas eu sou um pouco diferente de você, eu não compro porque eu não podia comprar antes, eu compro pra me sentir bonita.
    Eu acho que isso tem a ver com auto-estima.
    Eu sempre acho que as outras meninas são mais bonitas que eu, mais legais que eu, pelo jeito que elas se vestem, então eu quero ir lá e comprar aquilo que elas tem, pra ver se eu tb fico legal.
    Depois bate a maior depre quando eu vejo que tenho R$1,3 na conta do banco, que eu tenho 30 anos e não tenho apto próprio, nem posso casar, que eu não tenho nenhum dinheiro guardado.
    Não sei como mudar, nem por onde começar, geralmente eu spo choro compulsivamente por ter sido tão besta!
    E o tempo vai passando...
    Bia

    ResponderEliminar
  50. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  51. Me sinto assim às vezes, e olha que são meus pais que pagam minhas contas (será que nesse caso, a culpa deveria ser maior? rs)

    Acho que só vou aprender lidar melhor com isso quando eu trabalhar. Ou eu vou me controlar ou vou ficar super endividada. Meu pai sempre diz que quando eu trabalhar e morar sozinha vou viver no vermelho...haha Espero que esssa profecia não se cumpra!


    Beijos, Ju
    http://temnomeuquintal.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  52. Anónimo8.11.11

    Todo o post me define bem, incrivél... da infância/adolesc./adulta hsuash pobre.

    Comecei a ganhar meu salário minimo a 2 anos, não pago comida, luz,água,aluguel nada moro com meus pais apesar de ajudar em poucas coisas e imaginem, não tenho R$1 no bolso ou em bancos investidos, enfim... tudo vai para meu querido HIPER CARD, C&a, RENNER, RIACHUELO =/

    Mas sábado passei por um episódio que me deixa orgulhosa e triste ao mesmo tempo, super promoção na C&A do centro, rasteirinhas lindas pela bagatela de 39,90, shorts muito fofos e baratos, peguei, provei, gostei e pensei UE fim de ano ta ai, preciso de roupas novas, mas no provador falei pra mim msma agora não, vc deve 500 reais somente de um cartão Dona Barbara, se controle...e não comprei...
    segunda fiquei sabendo que vai ser um sacrificio receber meu salário, pq to de inss =/
    foi bom não ter comprado, imagina ficar com mais dividas por causa de um consumismo maléfico que me ronda RSRSR é mas ainda estou tristinha por não ter levado aquelas bagatelas, mas é assim msmo...vou aprendendo aos poucos e estou pensando seriamente em abrir um CCA- consumidoras compulsivas anônimas.

    ResponderEliminar
  53. Carol!

    Como a gente tem uma história de vida parecida. Nossa, estou impressionada! Tbm comecei a trabalhar aos 15 para poder comprar o queria. Faço parte de uma família de 5 irmãos e minha mãe sempre trabalhou sozinha para o sustento de 7 pessoas. Meus pais se separaram quando tinha 11 e ele nunca nos ajudou depois disso. Resultado? Brigava muito com minha mãe, queria comprar roupas e ela n podia nem pensar nisso... Por isso, já usava muitas roupas de segunda mão nesta época... doação de primas mais ricas...hhahaha Mas tinha uma vantagem: minha vó sempre foi costureira e duas vezes por anos fazia uma roupinha nova para o são joão e festas de fim de ano...

    Com relação ao prazer de comprar, tbm n tenho muito... só se a roupa for bem barata... coisas mais caras tbm me sinto bem culpada... e só sinto prazer mesmo em usar a roupa quando ela já está totalmente paga (se comprar parcelado). Entretanto, nunca me endividei muito... sempre compro uma coisa de cada vez.... bem AA ( um dia de cada vez)hahahha ....
    Tbm evito ir ao shopping e gosto mais de comprar pela internet... dá tempo de pensar bastante antes de gastar qualquer quantia...

    Beijos e sorte no equilíbrio das finanças...

    Saudades de vc!

    ResponderEliminar
  54. genteeee!! quanto sucesso esse post! e quantas meninas que, feito eu, guardam a culpa no armário, né? adorei o desabafo de todas vocês. não estamos sós né? :D

    eu juro que quando achar a cura, eu digo pra todo mundo e faço um post bem completo sobre essa "desintoxicação" de consumo E DE CULPA, pra gente aprender a conviver pacificamente com nossas carteiras. :)

    obrigado pelos comentários girlsss!


    beijosss =**
    Carols

    ResponderEliminar
  55. Carol, eu não sou muito de fazer anúncio do blog, mas super acho válido inserir aqui pra discussão duas reflexões que fiz um tempinho atrás sobre o mesmo assunto no meu, inclusive uma explicação da Vanessa da mata sobre essa música dela, e um vídeo da Fundação Akatu pregando o consumo consciente.
    Achei o melhor jeito, porque se eu for falar "senta que lá vem a história..." :)
    http://www.devaneiosfashion.com/outdoor-humano-nao-obrigada/

    http://www.devaneiosfashion.com/jejum-consumista/

    Beijos!

    ResponderEliminar
  56. Também sinto muita culpa quando compro alguma coisa e sempre escondo de todo mundo, mas eu sou um pouco descontroladoa com isso também, então tenho vergonha de mostrar...já tentei vários desafios, ficar tres meses sem comprar, dois meses...não consegui...mas é bom não deixar isso de lado, enfrentar a situação e mudar, não preciso ficar escondendo mas também não preciso gastar tanto né...pra compensar um pouco eu criei o brechó que vc conhece, é um jeito de amenizar meus gastos... bjs no coração!!

    ResponderEliminar
  57. Jessica8.11.11

    Adooooooorei o post !!! Eu sou super assim tbm e minha mae igualzinha !!! Tbm fico escondendo muitas coisas e sempre invento uma desculpa quando ela acha hauhauha Mas realmente eh mto dificil se controlar ainda mais com a moda de hj em dia .. Vc quer ser estilosa como todo mundo mesmo nao tendo capacidade (leia-se dinheiro) neh ?? Me identifiquei muito com o post e amo seu blog ! Parabens !

    ResponderEliminar
  58. kkkkk voltei novamente.... so pq lembrei de uma coisa, sobre culpa....
    Culpa sinto quase em toda compra, tudo pq tenho o guarda-roupa abarrotado de roupas, sapato e acessorios mils!!!!
    As vezes ia ao shopping e chegava com 4 pares de sapatos 6 jeans e outras coisitas mais.... pra minha tia nao ver (morava com minha tia), eu passava pela janela do meu quarto e jogava metade das coisas pela janela e entrava com duas sacolinhas..... depois deixava um tempo as coisas infurnadas no guarda-roupa e quando as usava e minha tia perguntava... eh nova??? eu dizia.... nada... ja comprei faz tempo!!! rssss..... um dia eu me largo desse cao compulsivo de comprar !!!!

    ResponderEliminar
  59. Ai Carol, eu sempre leio seu blog mas nunca comento, mas hj eu tinha q dar uma paradinha aqui, esse post tá perfeito! hahahaha
    Tbm me sinto totalmente culpada, sempre pensando no tal do futuro... mas tbm qdo gosto e gosto mto d alguma coisa compro logo pra não me arrepender depois de não ter comprado.. rs
    Mas tbm não sou uma louca q sai por aí gastando todo o salário com roupas e sapatos, não sou consumista ao máximo. ^.^
    Beijinhos e parabéns, teu blog é tudo de bom!

    ResponderEliminar
  60. OIII Carol faz um tempinho que acompanho o blog adorooo passadinha obrigatoria.
    Mulher economica axo dificil, como (quase) toda mulher sou muito compulsiva compro sem precisar, compro por comprar...e ultimamente tenho carregado comigo essa culpa a cada compra pois estou so estudando no momento entao to gastando as economias todas so pra ter uma roupitcha nova no guarda roupa e triste isso sei que nao posso fazer iso mas nao consigo e mais forte que eu rs...cartao e uma coisa que eu sei que nao me pertence nunca tive e nunca posso ter... ai pronto desabafei com alguem que me entende ufa rsrs bjinhos sucessoo sempre

    ResponderEliminar
  61. Eu sempre que vou a uma loja sinto uma necessidade terrível de comprar alguma coisa e o pior sempre acho algo que gosto e dar em mim, daí vem aquele pensamento compulsivo " quando eu vim da proxíma vez não vai ter, melhor levar logo" e depois o que acontece? me sinto pessima que na maioria das vezes eu não preciso daquilo, mas agora estou aprendendo a me controlar mais e pensar no meu futuro.

    aaaah! amo seu blog. beijo!beijo!

    ResponderEliminar
  62. Nossa Carol, eu passei por E-XA-TA-MEN-TE o mesmo processo. Me sinto exatamente igual a você. Acho triste na verdade, gostaria de saber lidar melhor com isso, assim como você desenvolvi maneiras de administrar meu dinheiro. Com a ajuda do meu namorado comecei a guardar dinheiro pensar em uma casa, casamento, vida financeira, enfim. Mas me dói pensar que preciso disso tudo para minha vida TODA ao mesmo tempo em que "preciso" do agora também. Meu corpo não será o mesmo, a moda não será a mesma o peso de qrer viver o agora contrapõe ao da necessidade de ter uma boa vida futura. Mas acredito que conseguiremos a conciliação e um dia compraremos sem culpa ou dor, apenas pelo prazer :)
    Adoro seu blog Carol, sinto como se te conhecesse kkkkk mas acho que é só pq somos meio parecidas afinal.
    Dá uma olhadinha no meu blog também
    http://aqueledoce.blogspot.com
    Beeeijo

    ResponderEliminar
  63. Eu não compro compulsivamente pq eu me preparo antes. Qnd eu vejo que tem dinheiro sobrando, eu antes converso com minha mãe e falo: vou comprar hoje. E eu que pago as coisas.
    Não entro em loja de galeria pq já acho tudo caro na vitrine, imagina lá dentro. Confesso que acho a Renner cara tbm haha.
    Tbm fui criada com esse pensamento de que "roupa é besteira, vc nao veste marca etc". Por isso que eu sou assim: prefiro mil vezes a disantinni do que a arezzo e acho super brega uma bolsa que tenha o nome de quem fez estampado na frente :)

    ResponderEliminar
  64. Camilla Moreira9.11.11

    Eu ainda tenho cartão de crédito, mas dei um passo super importante cortando todos os cartões de loja (C&A, marisa, renner, riachuelo), eu tinha todos. Anotei os números no meu email para pagar o que ainda devia pela net, mas nunca mais comprar com eles.
    O próximo passo vai ser me livrar de um cartão de crédito e ficar só com 1, para casos especiais, nessas compras necessárias que meu salário sozinho não pode pagar.
    No fim do mês ainda sobra um dinheiro, mas queria gastar menos com roupas e acessórios e investir mais nesse tão falado futuro que nossas mães falam.

    ResponderEliminar
  65. Anónimo9.11.11

    Carol, estou sofrendo com isso neste momento.
    Todos meus cartões estão estourados, sem grana na conta.
    Isso está afetando até meu casamento, pq agora tenho contas de casa para pagar e o dinheiro para a diversão ficou muito menor.
    Estou evitando ao máximo ir ao shopping, pq roupas eu até me seguro, mas sapatos, sapatos são meu pecado mortal....compro 7,8 pares de uma vez só! E sempre acho AQUELE modelo que eu ainda não tenho.
    Meu vício piorou e muito depois que comecei a ler blogs de moda...pq sempre tem uma peça must-have da semana que eu não tenho, e aí corro p/ o shopping, acho e compro...depois volto para casa, escondo do meu marido, e a consiência pesa horrores.
    Agora sem dinheiro para nada, ou vai ou racha...preciso pensar no meu futuro e principalmente nas minhas finanças atualmente.
    Gostei muito do seu desabafo, pq percebi que eu não sou louca como ando pensando e mais ainda, tenho como sair dessa situação! MUITO OBRIGADA!
    Adoro seu blog!
    Bjos!
    Camila

    ResponderEliminar
  66. Olá,

    Eu também me sinto extremamente culpada porque minha mãe é igual a sua nesse aspecto. Só que eu não sou de comprar horrores e sair com 10 sacolas na mão. Eu compro mto mesmo em promoção. Sou daquelas e espera meses até a promoção para poder comprar (as vezes o final da promoção pq o desconto é maior). Como nunca tive cartão de crédito consigo viver normalmente sem. Acho bem desnecessário pq se não tem dinheiro é melhor juntar, por mais que demore, e comprar a vista do que dever para banco =)

    ResponderEliminar
  67. Então Carol querida...vc sabe o qnt admiro seu blog né? nem lembro com o axei e desde então não abandono jamais e fico pasma como uma blogueira tão autêntica não é tão conhecida como outras que são tão menos autênticas,mas xô deixar de lero lero e dar mimha opinião:
    Entendo perfeitamente o que vc sente, eu hora me identifico com vc hora não Não é a toa que meu blog se chama POBRE Ousada.
    Assim,minha mãe tb me educou a comprar as coisas com mta cautela, tipo eu sempre penso no que tenho em casa se vai combinar, se vou usar bastante, se não tenho algo com a mesma proposta, se veste bem e principalmente...se é barato! Tenho cartões sim e meu nome está no SPC, mas pq divido o cartão com mami e dependo dela aí qnd as coisas tão duras aqui em casa todos sofrem...só que não me sinto culpada em tê-los e vou dizer porque:Eles são minha única oportunidade de ter uma roupa, um sapato, um batom de 5 reais, um sutiã, uma calcinha que eu queira...estudo e dependo totalmente de minha mãe(infelizmente), poderia esperar até me formar para ter minhas coisas? NÃO! Se for esperar terei 30 anos, é justo só poder "ser gente" nessa idade?
    Então aí reside a nossa diferença, só que tipo eu não consigo dar mais de 40 reais numa blusa sem ter dor na consciência sabe, vivo customizando roupas infinitas vezes e agradeço por ter sido treinada por minha mãe desde sempre senão eu tava lascada.Vivo pintando, aplicando coisas e picotando roupas e sempre atrás de liquidação, não possuo mais de10 pares de sandálias, 2 calças jeans...é uma dureza viu? Tenho que me virar nos 30 com o blog, todas as minhas roupas atualmente cabem numa gaveta pra vc ter idéia, tem horas que não aguento mais inventar...

    Desculpa ter me alongado tanto tá? Deu pra entender minha situation??kkkk

    Xeru, de uma leitora fanzoca!

    www.pobreousada.blogspot.com

    ResponderEliminar
  68. Geralmente eu não comento quando já tem 859866097870 comentários, imagino que dona do blog já esteja cansada de ler e responder.

    Cheguei aqui por indicação da Mira, e CACETE, com o perdão do palavrão, me identifiquei muito, hehehe ! Eu também tive tempos bem difíceis na vida, e estou na fase de tentar administrar melhor o meu dinheiro. Sinto a mesma coisa que você quando compro algo: a euforia da satisfação se torna rapidamente desespero, tenho até um mal estar de colocar a senha do cartão, é como se aquele fosse um ponto sem volta na minha derrota contra a compulsão !

    Fiquei fã.
    Bjos
    Anna
    http://www.creyssaphyna.com/

    ResponderEliminar
  69. Oi Carol, vim tbem pelo blog a moda da mira
    Então que coisa , pensei que só eu passava por isso... Tbem não posso comprar que me sinto culpada, estou ficando avessa a prestsções... só comprei nos ultimos tempos o que foi necessario. Estou procurando ser equilibrada pra sempre poupar e comprar menos produtos mas de boa qualidade.

    Então flor, adorei o texto, vou dar uma passeadinha por aki pra conhecer mais seu cantinho, seguindo, bjosss

    ResponderEliminar
  70. É lindinha... me identifiquei demais com seu texto. Tbm sofri na infância e na adolescência e só comecei a ter "as minhas coisinhas" quando comecei a trabalhar, aos 16 anos.
    Bom, hj especialmente acordei nervosa e chateada, pois ontem fui ao shopping e vi um vestido longo, estampado, super lindo, com preço ótimo, mas na hora pensei: não preciso dele. Nem experimentei, deixei pra lá. Bom, hj o primeiro pensamento que tive ao acordar: Sua burra, por que não comprou aquele vestido pra usar no reveillon ??? E já estou aqui planejando de voltar hj mesmo ao shopping e comprar o tal vestido... uma ansiedade maluca que está me incomodando. Nós mulheres, em grande maioria, passamos por isso sim !!!
    Adorei seu texto, te entendo perfeitamente e compartilho essa angústia com vc.
    Não sei como vai terminar a história do vestido, mas volto pra te contar.
    Beijoooocas

    ResponderEliminar
  71. Nossa, eu me vi na sua história, tive uma infância difícil, mas quem era o controlador é meu pai...
    Minha mãe ao contrário é suuuper consumista e vi ela se endividar e penhorar jóias devido às compras...
    Me tornei mais ou menos uma pessoa como você, que sooofre quando entra numa loja e quer sair dali correndo...compro qdo é extremamente necessário e sofro pra gastar, mas tem um pequeno problema...quando decido comprar parece que tiraram meus estribos e sou um cavalo sem freio...compro 3 sapatos de uma vez só e quando chego em casa fico deprimida...

    Adorei teu blog, super sincero e sem frescuras como tantos que têm por aí...

    bjs

    ResponderEliminar
  72. Nossa querida, é a primeira vez que acesso seu blog, cheguei nele pelo "A moda da Mira", me identifiquei super com você...
    E meu maior exemplo são meus perfumes... sempre passei minha adolescência sonhando com bons perfumes, quando comecei a trabalhar comprei uns três de uma vez, como se fosse compensar todos os anos que eu quis aqueles perfumes e não pude ter. Ainda me sinto inferior, e vivo me comparando com outras mulheres, no modo de vestir, no make, nos sapatos (OMG)! Que louco! Daí surge a permanente necessidade de "ter"... Adorei o post, serei leitora assídua. Beeijos

    ResponderEliminar
  73. Anónimo9.12.11

    Sou mais uma a engrossar o coro: penso muito desse jeito :(

    ResponderEliminar
  74. Anónimo23.12.11

    Carol, gostei muito da sua sinceridade... Quero fazer uma aposentadoria privada... COMO FAZ???? Aguardo resposta! :D

    ResponderEliminar
  75. Anónimo16.2.12

    Carol,
    é a primeira vez que acesso seu blog e me identifiquei bastante. Olho blogs quase diariamente. Em sua maioria, blogs que mostram coisas que eu jamais pude comprar. Tenho 16 anos e sempre vivi bem financeiramente, pois meu pai ganha bem. Sempre pude comprar o que quis, tendo consciência de um determinado limite. Até um certo dia de um ano atrás. Foi detonada uma bomba em minha vida. Devido a vários problemas familiares, meu pai está devendo hoje ao banco cerca de 100 mil reais. É uma dor extrema e agonizante, o fato de ter que, de um dia para o outro, passar de uma vida estabilizada, para o fundo do poço total. Ver coisas que antes poderia comprar e agora não posso, me trazem uma aflição tremenda.Devido aos anos de bom gosto e compras bem feitas, aprendi a me virar com meu guarda-roupas. Porém, um dia de cada vez. Ainda tenho surtos, ainda tenho ataques de raiva, de tristeza etc. Acho que isso me fez amadurecer bastante e aprender a ser muito melhor ultimamente. Aprendi a julgar menos, a ser mais compreensiva, a me controlar mais, a ter mais personalidade, a me apegar a coisas mais sólidas etc. Porém, nunca deixei de ser completamente apaixonada por moda. E, exatamente por isso, a tarefa tem sido cada vez mais difícil. O que me atormenta mais ainda, é a certeza de que ainda posso comprar algumas coisas (meus pais estão lidando com o problema, tendo eu a certeza de que será solucionado. Mas não tão rápido, como eu gostaria.) e simplesmente não peço. Olho, sinto vontade, engulo e morro por dentro. Dói, dói e dói muito. Não consigo pedir, tendo a certeza de que esse dinheiro pode ser utilizado para outras coisas. Me sinto muito triste por pensar nos meus pais. Me sinto extreeeeemamente culpada quando lembro dos ataques de raiva que ainda tenho, com a certeza que ferem ainda mais meus pais, por não poderem me dar. O que ainda me deixa bem por um lado, é lembrar que, há alguns anos, eu faria todo escândalo e compraria. O que ainda me deixa bem, é a certeza do aprendizado e da maturidade que é muitas vezes maior do que a de muitas pessoas mais velhas que eu. Estou aprendendo, amadurecendo e estudando (farei vestibular esse ano), para que eu possa ser plenamente satisfeita e despreocupada, quando crescer. (:

    ResponderEliminar

Subscribe